Quarta-Feira, 25 de Abril de 2018 - 12:42 (Política)

L
LIVRE

JESUÍNO BOABAID CRITICA ADMINISTRAÇÃO DE PORTO VELHO E COMENTA SOBRE FALA DE IVO CASSOL QUANTO AO BERON

O parlamentar afirmou que a administração atual é insatisfatória e criticou plano de privatização da saúde.


Imprimir página

O deputado Jesuíno Boabaid (PMN) usou a tribuna em sessão parlamentar na manhã desta quarta-feira (25), nas comunicações de liderança, para registrar sua indignação quanto a algumas ações da prefeitura da capital.

O parlamentar iniciou sua fala comentando sobre a possível privatização da saúde pública de Porto Velho. “Estão tendo debates e discussões. O prefeito fez uma tour com alguns vereadores e até com o Tribunal de Contas para ver a saúde em outro estado e agora ele quer implantar aqui”.

Segundo Jesuíno, o prefeito Hildon Chaves (PSDB) participou de uma entrevista onde explicou que a diferença é que uma associação sem fins lucrativos assumiria os recursos, que seriam encaminhados a essa instituição sem a necessidade de cumprir a Lei 8.666/93 que dispões quanto aos tramites licitatórios de obras e outras ações dos poderes.

Boabaid ressaltou que, além da saúde existem outras situações a serem avaliadas pelo Poder Executivo Municipal como o ajuste da CML, comissão que tem por competência avaliar processos licitatórios da Secretaria Municipal de Administração (Semad), além de regulamentação em secretarias e procuradorias para um melhor equilíbrio administrativo. “Tem sim que ajustar várias questões, mas dizer que privatizar a saúde vai salvar o município é uma falácia sem tamanho”.

O deputado falou de outras questões que necessitam de cuidados urgentes da administração municipal, como o valor exorbitante da iluminação pública em contraste com a falta de luz nos bairros mais periféricos e a situação das ruas da capital, esburacadas por conta da época chuvosa. “Estamos assistindo um prefeito sem palavra, que está deixando a desejar. Nada contra a pessoa do Hildon, mas sua administração não está satisfatória. Ele agora está fazendo essa operação tapa-buracos, mas não vemos grandes obras”.

Jesuíno destacou o problema da Estrada do Belmont, que foi fechada por um período de 48 horas por populares, que reivindicam melhoras na via, a qual se encontra em estado precário para uso. “Ezequiel Neiva só dava atenção para o interior, mas não fez nada para a capital”. Ele disse pretender marcar uma reunião com o novo diretor do Departamento de Estradas e Rodagens (DER) para saber quais são seus planos de ação enquanto estiver a frente do órgão.

Em a parte, o deputado Adelino Follador (DEM) lembrou que o DER, na administração de Neiva, fez obras mais para a região do Cone Sul, deixando ainda muito a fazer. “DER prometeu que ia fazer revestimento em Cacaulândia, em Rio Crespo e outros, então é muita conversa isso de ter feito muito no interior e nada aqui”.

Jesuíno discursou também sobre a fala feita pelo senador Ivo Cassol (PP) que dispunha sobre a aprovação de um acordo feito com o governo do Estado para reativar e aumentar a dívida do Banco do Estado de Rondônia (Beron). “O senador deveria analisar a lei e não as mensagens, pois o texto resguarda a Casa de Leis caso haja aditivos nos contratos de refinanciamento por parte das dívidas”.

Boabaid reforçou, por fim, um pedido ao presidente da Casa Maurão de Carvalho (MDB), para que seja elaborado um expediente ao governador em exercício Daniel Pereira (PSB) para ver se ele vai ou não manter esses aditivos, que, segundo Jesuíno, são contra a lei.

Fonte: 015 - ALE/RO - DECOM

Noticias relacionadas

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias