Quinta-Feira, 03 de Novembro de 2016 - 07:59 (Colaboradores)

L
LIVRE

INAUGURAÇÃO DE VIADUTO ESCONDE DENUNCIA DE ‘SUPERFATURAMENTO’

O projeto faz parte do programa de aceleração do crescimento do governo federal ainda do (pac -1). O empresário Paulo Rogério, dono de um hotel na Vila Tupi viu o alicerce da construção de dois viadutos.


Imprimir página

Com a entrega de um dos seis viadutos do trevo do roque prevista para acontecer nesta quinta-feira (03) com a presença do ministro dos transportes, Mauricio Quintela autoridades vieram a público questionar o transtorno causado pelas construções paradas á sete anos. E ainda denunciar o superfaturamento por trás da construção do governo federal. E o descaso com a população motivou uma denuncia nos ministérios públicos, federal e estadual.

Quem chega a porto velho, seja pelo alto por barco ou de carro é difícil não se deparar com as obras inacabadas dos viadutos. Construções implementadas para ajudar no fluxo do transito da maior capital brasileira em extensão territorial.  E realmente séria caso o projeto tivesse sido concluído no prazo determinado. “Roberto Sobrinho (ex-prefeito de Porto Velho) passou oito anos no poder diz que entregaria a obra, mas saiu da prefeitura e nunca cumpriu a promessa”, lembra o aposentado Francisco Azevedo.

Abandonadas as construções revelam o desperdício do erário público. Dinheiro de uma obra que é investigada com suspeita de superfaturamento. Quem afirma é o deputado estadual, Hermínio coelho do (PDT). O parlamentar de Rondônia que já foi presidente da Assembleia Legislativa (ALE) chegou a denunciar o caso aos ministérios públicos, Federal e Estadual, além da Controladoria Geral da União.

Com lançamento em 2009, os viadutos de porto velho receberam orçamento inicial de R$ 88.836.935,06 (oitenta e oito milhões oitocentos e trinta e seis mil novecentos e trinta e cinco reais e seis centavos). Com as diversas paralizações pela empresa vencedora do certame licitatório, a construções e empreendimentos S.A a (Camter) do estado de minas gerais, atualmente o valor se aproxima dos R$ 172.799.812,00. (Cento e setenta e dois milhões setecentos e noventa e nove mil e oitenta e dose reais).

O projeto faz parte do programa de aceleração do crescimento do governo federal ainda do (pac -1).  O empresário Paulo Rogério, dono de um hotel na Vila Tupi viu o alicerce da construção de dois viadutos. São os elevados da br-364 com presidente Dutra. E o outro é o dá campus Sales com BR-364. Mesmo com sentimento de magoa o ‘portovelhense’ não perde a esperança.

Mas a denuncia do deputado vai além e inclusive contra o senador da república, Valdir Raupp de Matos (PMDB) denunciado em setembro pelo procurador geral da república (PGR) Rodrigo Janot, que acredita na ligação do parlamentar nos crimes investigados na operação da polícia federal ‘lava jato’. Segundo Hermínio Coelho, os envolvidos no que ele classifica de ‘esquema’ das obras dos viadutos de Porto Velho deveriam estar presos.  “Muita ‘gente’ envolvida no desvio de recurso público dessa obra deveria está na cadeia”, afirma.

Em menos de um ano do início da construção dos viadutos, as obras foram paralisadas. Sete anos se passaram e apenas um deles do trevo do roque foi entregue e como diz o ditado a prestação.

E para o acontecimento, o ministro dos transportes, Maurício Quintella foi convidado para inaugurar o único viaduto pronto sete anos após o lançamento da pedra fundamental. Uma presença a qual a população chama de ‘imoral’ e uma falta respeito com a população. Um dia de festa com direito a palanque para entregar o viaduto do trevo do roque.

Mas para quem passa pelo local não ver graça alguma comemorar a entrega de uma obra que tem tirado o humor do morador daqui. “Não existe uma justificativa para que o Estado, a União e até mesmo o senador Valdir Raupp venham inaugurar uma obra dessas, inacabada”, lamenta.

Fonte: Emerson Barbosa

Noticias relacionadas

Banner Ale

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias