Quinta-Feira, 21 de Março de 2013 - 11:09 (Colaboradores)

ÍMPIOS: MENTES PERIGOSAS

O intuito de julgar, condenar ou absolver cabe a Deus, e ao homem saber seus atos, sejam corretos ou incertos. É preciso fazer uma lei onde que proíba a eleição de qualquer membro ‘religioso ou seguimento na política’.


Imprimir página

Até onde eu sei padre, missionário, pastor trata-se de um seguimento religioso com o intuito de guiar a espiritualidade do homem voltado para Deus, o criador. Mas ao que se ver a confusão se generalizou: É padre querendo desvirtuar a realidade, pastores se achando 'Deus' e missionários desguiados.

Até onde eu sei a religião não poderia apesar de muito parecida chegar tão próximo da política. O pastor, Marco Feliciano já deu sinal de que não age de forma consciente, afinal, como colocam um homem ‘desequilibrado’ para presidir a Comissão de Direitos Humanos?

O intuito de julgar, condenar ou absolver cabe a Deus, e ao homem saber seus atos, sejam corretos ou incertos.  É preciso fazer uma lei onde que proíba a eleição de qualquer membro ‘religioso ou seguimento na política’. Espiritualidade se faz com Deus, desequilíbrio com o diabo.  Sejamos conscientes para distinguir o que se ouvi da boca de pessoas “que por pura vaidade ousam falar de Deus”. Pois existem os justos, mas nesse meio o demônio também atua e pode está em qualquer altar.

Fonte: Emerson Barbosa

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias

Http://www.Auto-doc.pt