Sabado, 09 de Novembro de 2013 - 10:20 (Colaboradores)

HERMÍNIO COELHO USA MÁQUINA DA ALE-RO PARA DRIBLAR SONHOS PESSOAIS, E EXECRAR ADVERSÁRIOS POTENCIAIS AO PALÁCIO PRESIDENTE VARGAS

Segundo revelou a fonte, ‘Hermínio sonhava em parar o transporte urbano e interestadual no Estado’, mas a categoria desconfiava das ligações com empresários deste segmento.


Imprimir página

Guajará-Mirim, RONDÔNIA, Brasil – As incursões do deputado José Hermínio Coelho à cata de liderança política na tentativa de chegar ao Palácio Presidente Vargas, ao seu estilo, por todos os grotões do Estado também repercutem, negativamente, nesta parte da Amazônia Ocidental Brasileira.   

Desde que chegou à presidência da Assembléia Legislativa o ex-petista - e agora no PSD - é acusado de submeter à execração pública autoridades, desafetos e até aliados históricos; não poupando nem nos bastidores o cunhado-deputado Cláudio Carvalho, do Partido dos Trabalhadores [PT] ameaçado por abertura de procedimentos administrativos.

NÃO REPRODUZ CONCEITO DE NOME NOVO - O extremismo que praticaria desde o início de seus mandatos, tem levado Hermínio a colecionar inimigos gratuitos. Na Câmara, segundo um ex-cobrador de ônibus ligado ao SINTETUPERON, ‘o poder já havia subido à cabeça’.

Segundo revelou a fonte, ‘Hermínio sonhava em parar o transporte urbano e interestadual no Estado’, mas a categoria desconfiava das ligações com empresários deste segmento. À época, o barulho contra Roberto Sobrinho é o mesmo contra Confúcio, Expedito e com quem atravesse o caminho dele e do grupo que o apóia’.

CÓPIA DO ÓCIO CRIATIVO? - Ao seu estilo, o deputado do PSD tenta impor uma marca que denota a mesma forma de políticos de cabeças ancestrais, afirma um estudante de Filosofia da Universidade Federal de Rondônia em trânsito pela região. Segundo ele, navegando pelo poder, Hermínio não se deu conta de que se tornou, na inicial, um faz-tudo de Walter Araújo e agora, de Ivo Cassol’.

No contraponto, o estudante disse que, ‘ele ainda age como um petista autoritário, sem descer do salto’. Afável com aliados e ele não admite críticas; nem faz concessões ao cunhado desde o tempo de Câmara. Sobre, ele revela, contudo, que é defensor inveterado da prática de que ‘pelos adeptos tudo vale a pena’.

DE MAL A PIOR? - Outras fontes afirmam que ‘é mal assessorado’ e não tem obtido sucesso nas incursões à cata de adeptos aos seus projetos políticos’. A maioria ouvida por este site é de opinião que ‘Hermínio foi fiel escudeiro das empresas de ônibus’. Na presidência da ALE-RO, ‘poderia ter tomado outro caminho, que não o do enfrentamento com arrogância’.

FOGO AMIGO - Analistas ligados a partidos de esquerdas, a ex-aliados petistas e neo-comunistas, acreditam que ‘ele não pode negar sua aliança com a extrema direita financiada por Cassol’, mas que também não pode negar que esteja sabotando internamente a pré-candidatura de Alex Testoni, prefeito de Ouro Preto, ainda aliado de Confúcio Moura.

Daqui de longe, da fronteira bi-nacional, há três semanas passadas, Hermínio deixava claro que nos bastidores, ‘contaria com informações estratégicas sobre os esquemas do Governo e que teria muita bala na agulha para detonar em quem atravesse seu caminho’.

Esses mesmos analistas, na outra ponta da linha, reforçam a opinião, contudo, que o presidente da Assembléia, agora aliado ao Grupo Cassol, sabota a própria candidatura ao Governo ou a Câmara Federal’. De barbada, levará ao novo fundo do poço do Poder Legislativo, o cunhado Cláudio Carvalho e deputados sobre o quais mantém controle em face da lista gigantesca de comissionados.

NÃO SUPERA A PRÓPRIA DESCONFIANÇA - Com estilo declarado de um mercador moderno, o ex-sindicalista dos transportes urbanos na Capital Porto Velho, com trânsito livre em, pelo menos, seis emissoras de rádio, sites e jornais do interior mantidos por Ivo Cassol, ‘disse na Rádio Planalto, em VIlhena, ‘preparado para devolver o poder ao partido do novo chefe que governou o Estado por oito anos’.

ARQUIVO SECRETO? – A contar pelos tons de ameaças que faz ao governador Confúcio Moura e agora ao ex-senador Expedito Júnior, o deputado do PSD é instado a provar o que diz. Não o fez até agora, na totalidade das denúncias levadas ao Ministério Público [MPE]. Apenas repete os resultados das operações Dominó, Termópilas e Apocalipse, ironiza um ex-agente da Polícia Legislativa.

Do lado brasileiro da fronteira bi-nacional, o parlamentar rondoniense não escapa de críticas de que ‘transformou o Plenário da ALE-RO é um tribunal de exceção cuja finalidade é o de peitar e condenar, ao seu estilo bronco, adversários apenas por serem ligados aos que não rezam por sua cartilha’.

E orientam, contudo, que ‘a Presidência precisa ter uma comunicação eficaz e o que é estrategicamente melhor para o seu mandato e para o seu partido, apesar de sê-lo considerado nanico e não poder navegar na política rondoniense sem aliados ficha-sujas’, a exemplo de Ivo Cassol e do próprio Moreira Mendes’.

DE NARCISO A SÍSIFO - Apesar de Hermínio Coelho se auto-cultuar e supostamente ser cultuado por sua base aliada ainda não enxugada, parte dos adversários o consideram ‘medíocre, bronco e grotesco; mesmo sendo um símbolo pára a esquerda neoliberal e da turma do púlpito evangélico rondoniense fora do plenário cuja maioria [19 deputados] que se recusa a deixar o apoio ao Palácio Presidente Vargas.

E por adotar sempre as mesmas estratégias do ‘bateu levou’, desde os tempos de inquilino da Câmara Municipal de Porto Velho.  

XICO NERY é Produtor Executivo de Rádio, Jornal, TV, Repórter Fotográfico e CONTATO de Agências de Noticias nas Amazônias, Países Andinos e Bolivarianos.

Fonte: XICO NERY

Noticias relacionadas

Banner Ale

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias