GRILEIROS DE TERRAS PÚBLICAS DENUNCIADOS À POLÍCIA FEDERAL NA SEGUNDA 27 - News Rondônia O dossiê, segundo participantes do Grupo de Trabalho [GT], conterá vídeos, fotografias e gravações de ameaças às famílias já assentadas pela AMPLA [Associação de Moradores do Bairro Planalto] e das ações dos acusados assentando pessoas cujos lotes foram vendidos ilegalmente.

Porto Velho,

Sexta-Feira , 24 de Maio de 2013 - 10:20 - Colaboradores


 

GRILEIROS DE TERRAS PÚBLICAS DENUNCIADOS À POLÍCIA FEDERAL NA SEGUNDA 27

O dossiê, segundo participantes do Grupo de Trabalho [GT], conterá vídeos, fotografias e gravações de ameaças às famílias já assentadas pela AMPLA [Associação de Moradores do Bairro Planalto] e das ações dos acusados assentando pessoas cujos lotes foram vendidos ilegalmente.

ImprimirImprimir página

Porto Velho, Rondônia - Foi devagar e devagarinho que entidades de classes, ativistas sociais e agrários baixaram à retórica e decidiram listar nomes e ações de grileiros metidos em invasões em propriedades privadas e públicas na Zona Leste desta Capital.

O primeiro episódio diz respeito ao Projeto de Assentamento Planalto, localizado entre as avenidas Vieira Caula e Imigrantes, onde 1.200 famílias estão sendo assentadas com anuência do INCRA e a Prefeitura sob a coordenação da Associação dos Moradores [AMPLA].

O Grupo de Trabalho [GT] criado para esse fim, de acordo com diretores da entidade, ‘em mais de dois anos enfrentou uma verdadeira indústria da invasão liderada por um suposto moto-taxista, um advogado, um ex-garimpeiro gaúcho e um ex-apenado do sistema penitenciário rondoniense’.

Listados os nomes de grileiros e de pessoas vitimizadas por vendas ilegais de lotes, os moradores decidiram entregar os ‘ilegais’ às autoridades rondonienses depois que parte do grupo ameaçou tocar fogo nas casas, obstruir passagens e ignorar o Projeto de Assentamento cujos beneficiados constam de um cadastro já em poder do INCRA, MDA e agora do Município.

Na segunda-feira [27], os nomes dos acusados de venda ilegal de terras da União naquela localidade serão repassados à Polícia Federal para que entre no caso. Além da comunidade do Planalto, o grupo atua em outras ocupações em terras privadas e públicas nesta Capital e no interior rondoniense.

O dossiê, segundo participantes do Grupo de Trabalho [GT], conterá vídeos, fotografias e gravações de ameaças às famílias já assentadas pela AMPLA [Associação de Moradores do Bairro Planalto] e das ações dos acusados assentando pessoas cujos lotes foram vendidos ilegalmente.    

MODUS OPERANDI – Os integrantes do grupo de supostos ‘líderes comunitários’ se infiltram em movimentos comunitários legalizados e na ‘surdina’, em conluio com advogados, cartórios e candidatos, tenta usurpar o mandato das diretorias de associações de moradores e de agricultores credenciados pelo INCRA através do Ministério do Desenvolvimento Agrário [MDA].

Com apoio do MDA, na segunda-feira, um relatório detalhado com os fatos e as ações ilegais dos acusados será encaminhado à Superintendência da Policia Federal, em Rondônia, com cópia aos Ministérios Público Federal e Estadual, respectivamente.

As pessoas relacionadas no documento, disseram moradores a este site de notícias, ‘são velhos conhecidos da Polícia e da Justiça rondoniense’. Apenas permanecem impunes. E só agora serão denunciados às autoridades, já que ‘tentam conter a ampliação das áreas destinadas à reforma agrária rural e urbana’.

ATIVISTAS DENUNCIAM – A existência de grupos de grileiros já identificados na Zona Leste, nesta inicial, é do conhecimento do deputado federal Padre TOM [PT], do Procurador da República, Reginaldo Trindade [leia-se Encontro da Terça Cinta-Larga na OAB-RO]. E agora, será levado ao conhecimento da Policia Federal.

A CORRIDA 2014 COMEÇOU – As famílias cadastradas ao Plano Municipal de Reforma Agrária no bairro Planalto disseram que, ‘os tais grileiros são elementos políticos protegidos por um advogado, pré-candidato a deputado federal visto em outdoors pelos quatro cantos da cidade’. E que as invasões e a tentativa de usurpação das diretorias das associações, devem apuradas pelas autoridades.

Xico Nery é Produtor Executivo de Rádio, Jornal, TV, Repórter Fotográfico e CONTATO de Agências nas Amazônias, Países Andinos e Bolivarianos.

Fonte: Xico Nery-News Rondônia

Comentários do Facebook

Veja Também

Publicidade

  • Http://www.Auto-doc.pt