Quarta-Feira, 08 de Agosto de 2018 - 15:34 (Geral)

L
LIVRE

GREVE DOS TRABALHADORES DO SISTEMA DE ÔNIBUS EM PORTO VELHO IMPLICA EM CONTRATO COM A PREFEITURA, DIZ SINDICATO

Na garagem do consórcio sim nenhum ônibus saiu hoje. O Sindicato dos Trabalhadores do Transporte Urbano – Sitetuperon informou que paralisação envolve 100% da frota. e mais de 850 trabalhadores.


Imprimir página

“Eu tenho que me apresentar lá na SAM para eu resolver meus problemas. Sou uma pessoa quase visão e não posso andar sozinha”, esclarece Raimunda Lira.

A também quem se dizia acostumada com o desrespeito. "A gente já está acostumada com o desrespeito dessas pessoas com o ser humano”, informa a aposentada, Maria das Graças.

Na garagem do consórcio sim nenhum ônibus saiu hoje. O Sindicato dos Trabalhadores do Transporte Urbano – Sitetuperon informou que paralisação envolve 100% da frota. e mais de 850 trabalhadores.

“Hoje nós temos uma categoria 800 a 850 funcionários pais de família. Creio eu que 100% desses pais de família aderiram ao movimento”, informa o representante dos Trabalhadores em greve, Francinei Oliveira,

De um lado os trabalhadores reivindicam (empresa) o pagamento dos 4% de aumento salarial retirados deles pelo consórcio “SIM”. Na outra parte: o consórcio “SIM” se defende alegando que a medida foi tomada porque a empresa estaria tendo prejuízo por conta do contrato com a prefeitura.

“A empresa (Consórcio Sim) a partir da nossa data base no dia 01 de janeiro, reajustou o nosso salário em 4%, mas de forma unilateral ela (empresa) retirou os 4%. Além disso, descontou dos trabalhadores o que já tinha pago do dia 01 de abril até hoje”.

Na sede do sindicato, os trabalhadores aguardavam um posicionamento dos representantes do consórcio sim.

“Se a empresa chegar nesse exato momento e dizer que vai pagar todos os retroativos que tirou dos trabalhadores, pode ter certeza que a categoria quer trabalhar, mas trabalhar de forma digna”, lembra o representante dos trabalhadores em greve.

“Já existia um anuncio de greve para o dia 28 de julho, foi quando nós entramos com um mandato de segurança e o juiz o presidente do Tribunal Regional do Trabalho (TRT), possibilitando a greve, mas que permanecesse em operação cerca de 90% da frota. Isso foi comunidade ao sindicato e ao Sim. Naquela época, a greve foi suspensa. Hoje essa situação nos causou estranheza e surpresa ainda nesse momento, deflagrar uma greve sem um prévio aviso e com uma liminar que obriga 90% da frota está funcionando. Estamos acompanhando e entramos com uma petição junto à justiça do trabalho para que se volte pelo menos 90%”, disse o secretário Municipal de Trânsito, Carlos Costa

O Consórcio “SIM” emitiu um parecer no qual informa que foi surpreendido pela paralisação geral dos trabalhadores, uma vez que, desde o início de março deste ano, está participando de todas as reuniões agendadas e mediadas pelo ministério do trabalho para as tratativas do acordo coletivo 2018/2019, inclusive apresentando propostas para a categoria.

Fonte: NewsRondônia

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias