Segunda-Feira, 22 de Janeiro de 2018 - 19:40 (Hidreletricas do Madeira)

L
LIVRE

GOVERNO DO ACRE AJUIZARÁ AÇÃO CONTRA A USINA DE JIRAU PELA CHEIA DO MADEIRA EM 2014

A preocupação é maior na região do Abunã, onde as águas marcam hoje 20,74 metros de profundidade.


Imprimir página

Por Samuel Bryan 

O governador Tião Viana e parte da equipe técnica de meio ambiente do Estado se reuniu na manhã desta segunda-feira, 22, com o presidente em exercício da Agência Nacional de Águas (ANA), Ney Maranhão, para tratar do monitoramento da situação do Rio Madeira.


Governador, junto com gestores do Acre, esteve reunido com o presidente da ANA (Foto: Cedida)

A preocupação é maior na região do Abunã, onde as águas marcam hoje 20,74 metros de profundidade. Ainda assim, tanto dados da ANA quanto da equipe técnica do governo do Estado mostram que as chuvas este ano não estão similares as de 2014 – ano de isolamento do Estado por mais de 30 dias – o que causa menos preocupação. No entanto, se chuvas de grande porte vierem no período crítico e não houver a regulação da vazante pela hidrelétrica de Jirau, o risco é possível.

Parte da BR-364, único acesso terrestre para o estado do Acre, (ano de 2014)

Além disso, diante do não cumprimento das condicionantes do licenciamento, onde foi determinado pela ANA que Jirau devesse elevar as áreas alagadas da BR-364 em 1,5 metro, e os graves prejuízos da cheia de 2014, o governador Tião Viana decidiu por entrar com um processo judicial contra a empresa que administra a hidrelétrica.

“Diante disso, nós estamos judicializando contra a hidrelétrica de Jirau e pedindo a justiça que determine o ressarcimento dos prejuízos causados que ficam em mais de R$ 300 milhões que estão definidos de maneira técnica pela Procuradoria Geral do Estado”, conta o governador Tião Viana.

Fonte: agencia AC

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias