Segunda-Feira, 07 de Maio de 2018 - 08:16 (Colaboradores)

L
LIVRE

GANHAR ELEIÇÃO EXIGE ESTRATÉGIAS: CAUTELA E REZA BENTA

Estou mostrando a importância da Arte da Guerra como referência de estratégia para se chegar ao objetivo da guerra, em busca da paz, e, ao mesmo tempo, mostrar a ausência de estratégia de determinados pré-candidato e presenciável, exemplificado nesta análise com Ciro Gomes.


Imprimir página

Quando Sun Tzu escreveu a ‘ARTE DA GUERRA’ teve a preocupação em postular 65 recomendações que representam, na verdade, verdadeiros postulados, em fascículos, indispensáveis para conquistar seu principal objetivo, a vitória, fechando com chave de ouro no seu último postulado:

Estou mostrando a importância da Arte da Guerra como referência de estratégia para se chegar ao objetivo da guerra, em busca da paz, e, ao mesmo tempo, mostrar a ausência de estratégia de determinados pré-candidatos e presenciáveis, exemplificado nesta análise com Ciro Gomes.

Toda máxima popular soa como provérbio popular - experiências adquiridas e maturadas pelo tempo, passando de pais para os filhos, de gerações em gerações, ao longo do tempo, tais como: “O peixe morre pela boca”. "Quem fala de mais dá bom dia a cavalo”. “Em boca fechada não entra mosca”. “O segredo do sucesso é o silêncio”. “Quem diz o que quer ouve o que não quer”.

Como o pré-candidato à presidência da República, Ciro Gomes (PDT-CE) perdeu definitivamente a parceria com o Partido dos Trabalhadores (PT). Todos apostavam suas fichas como o PT estava costurando uma parceria com o PDT, com uma possível coligação para lançar um candidato a vice-presidente da legenda, sendo um nome de consenso, para compor a chapa encabeçada por Ciro Gomes (PDT) para disputar as eleições presidenciais, agora, em 2018, rumo ao Planalto 2019-2022, como forma de recuperar uma fatia do poder desperdiçado com o impeachment da então presidente Dilma Rousseff, em agosto de 2016.

Com apenas poucas palavras preferidas pela presidente do PT, senadora Glessi Hoffmann, de que “Ciro não passa no PT nem com reza braba’” para que o FG não desperdiçasse  tempo e descarregasse todas as munições de sua farta artilharia e metralhasse os petralhas, em todos os níveis, números e gêneros,em todas as instâncias.

MORAL DA HISTÓRIA: Esta senado Glessi Hoffmann, atual presidente nacional do Partido dos Trabalhadores (PT), está com um pé nas gradas se tornou ré acusada pela Lava-Jato e denunciada pelo Supremo Tribunal Federal (STF) quando deverá ser julgada pelo Plenário do STF por recebimento de propina de R$1.000.000,00 (Um milhão de reais) e sua fala não representaria, necessariamente, nesta oportunidade a opinião e a decisão do PT e de suas principais lideranças. Se Ciro Gomes tivesse lido ‘A ARTE DA GUERRA’ não teria cometido tal asneira em metralhar toda a petezada e nem tampouco colocar em xeque a sua possível ascensão para disputar o segundo turno com qualquer candidato e concorreu de pau a pau a eleição presidencial. Agora, recuperar o leite derramada em areia seca, nem com muita reza benta. Agora é tarde.

Na ARTE DA GUERRA, Sun Tzu sempre deu um destaque todo especial aos seus guerreiros e combatentes e se referia como: “Trate seus homens como filhos e eles o seguirão aos vales mais escuros. Trate-os como filhos queridos e eles o defenderão com a própria morte”.

Antônio de Almeida Sobrinho é Graduado em Engenharia de Pesca e tem Mestrado em Desenvolvimento Regional e Meio Ambiente, Membro e Presidente de Honra da Academia de Letras de Jaguaruana.

Escreve semanalmente nos seguintes Portais e veículos de comunicação:

E escreve semanalmente nos seguintes Portais de Notícias:

www.gentedeopinia.com.br
www.rondonoticias.com.br
www.newsrondonia.com.br
www.emrondonia.com.br

BLOGSPOT ESPINHA NA GARGANTA.

CANAL espinhanagarganta@gmail.com
Facebook Antônio de Almeida Sobrinho

Fonte: Antônio de Almeida Sobrinho - News Rondônia

Noticias relacionadas

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias