Terça-Feira, 17 de Outubro de 2017 - 12:19 (Agronegocios)

L
LIVRE

FRIGORÍFICO É O MAIS NOVO EMPREENDIMENTO A CONQUISTAR O SELO DO SERVIÇO DE INSPEÇÃO ESTADUAL EM RONDÔNIA

O empreendimento existe desde 2002, mas apenas comercializava dentro do município. Agora com selo e do Serviço de Inspeção Estadual está apto a vender para todo o Estado.


Imprimir página

Localizado na Estrada da Areia Branca, em Porto Velho, o frigorifico com capacidade de 150 abates por dia é o mais novo empreendimento a conquistar o selo do Serviço de inspeção estadual em Rondônia. Para o Estado, segundo o gerente de Inspeção de Produtos de Origem Animal (Gipoa) da Agência de Defesa Sanitária Agrosilvopastoril do Estado de Rondônia (Idaron), Aurélio Moitinho, isso representa a garantia de que chegará à mesa do rondoniense uma alimentação de qualidade, além de fomentar a economia.

O empreendimento existe desde 2002, mas apenas comercializava dentro do município. Agora com selo e do Serviço de Inspeção Estadual está apto a vender para todo o Estado. Além de permitir que o abate também seja feito aos sábados e a desossa todos os dias da semana devido à disponibilização de funcionários estaduais por um período de tempo maior que o municipal. De acordo com o empresário Marcos Lacerda, o frigorífico gera 130 empregos diretos e abrirá mais 40 vagas inicialmente para as atividades de desossa e para a produção dos charques.

‘‘Desde que passamos a ter o selo do Serviço de Inspeção Estadual já abrimos vagas para 30 colaboradores e com a entrada da fabricação de charque vamos abrir mais vagas. Estamos girando a economia. Estão falando em crise, mas graças a Deus, com condições de trabalho a gente consegue superar. Isso com muito esforço, dedicação e apoio do Estado porque sem o apoio do Estado o empresário não consegue avançar’’, considera Marcos Lacerda.

Marcos é do Paraná e chegou ao estado na década de 80. Aqui ele disse que encontrou as oportunidades e condições para o negócio. No início o frigorífico abatia 20 cabeças de gado por dia. Foi o primeiro frigorífico municipal a ter desossa. Ultimamente funcionava com 70% da capacidade, abatendo entre 80 a 100 cabeças diariamente. Há poucos dias com o selo estadual, Marcos já aponta as vantagens. ‘‘Estamos trabalhando com 100% da capacidade’’.

A realidade agora é outra e as expectativas são as melhores possíveis. ‘‘Nós implantamos um controle de qualidade na empresa. Hoje a nossa carne desossada já tem aprovado em laboratório 75 dias de prazo de validade. Temos abate, desossa, e vamos produzir charques e a qualidade é importante. A exigência do Serviço de Inspeção Estadual é um benefício para a empresa porque essa qualidade será cobrada pelo consumidor. Quero agradecer por todo apoio da administração estadual que deu todo o apoio, se dedicou e não mediu esforços para nos atender’’, disse o empresário.

Marcos defende ainda que Rondônia é mesmo uma terra de oportunidades. ‘‘Somos uma empresa regional e queremos crescer junto com o Estado. Não nasci em Rondônia, cheguei com 12 anos, mas me sinto rondoniense, meus filhos são rondonienses e eu sou um empreendedor, sempre quero crescer e gerar emprego. Aqui nunca faltou trabalho, sempre tive oportunidades. É um estado acolhedor e que apoia quem gosta de trabalhar’’, garante Marcos.

A empresa gera 130 empregos diretos e deve abrir mais 40 vagas agora que pode comercializar para todo o Estado

SAÚDE PÚBLICA

Segundo o gerente do Gipoa, um empreendimento para receber o selo estadual precisa obedecer tanto as leis municipais como estaduais e federais, inclusive em relação às conformidades ambientais. No frigorífico de Marcos, por exemplo, até a água utilizada para as atividades do estabelecimento passa por tratamento e é reaproveitada para irrigação do pasto e do jardim.

‘‘Fazemos várias verificações quanto ao local, terreno, planta; o fluxo que os produtos vão seguir dentro do estabelecimento; como esses produtos serão manipulados. Toda a parte estrutural e operacional. É um processo longo e trabalhoso, pois tem que garantir a qualidade desse produto para a população’’, disse o gerente.

Frigoríficos e laticínios são os setores que mais têm procurado pelo Serviço de Inspeção Estadual. Segundo o levantamento do Gipoa, de 2011 até hoje, o Estado habilitou 44 empreendimentos que estão aptos para comercialização em todos os municípios rondonienses.

Uma cadeia produtiva que tem recebido atenção especial do Estado. ‘‘Desde a fundação do Estado a gente nunca teve um governo que se preocupou tanto não só com a questão de produzir alimento, mas de entregar o alimento para a população que não vá gerar risco para a saúde pública’’, considera o gerente.

Ainda de acordo com Aurélio, durante a gestão Confúcio Moura foram criadas iniciativas para fortalecer a qualidade da produção rondoniense assim como apoio para os empreendimentos avançarem.

‘‘Nós tivemos a criação da lei de inspeção que regulamenta como todos os empreendimentos vão funcionar, todas as regras a serem seguidas. Também foi criada a Gerência Inspeção que dá autonomia para o funcionamento do Serviço de Inspeção Estadual. Além de aumentar o corpo técnico para fazer as atividades e houve a padronização dos procedimentos e dos documentos para o abate’’, explica Aurélio.

Antes, o serviço contava apenas dois veterinários e dois assistentes administrativos. Agora são quatro veterinários e três assistentes administrativos. Segundo o gerente, um novo veterinário e mais três estagiários devem somar com o serviço em breve. ‘‘Mas também temos um serviço descentralizado, o que antes não tinha.  Temos profissionais, por exemplo, no município de Cacoal, Vilhena e Rolim de Moura’’, afirma o gerente.  Esforços que tem levado o Estado a sobressair no cenário econômico brasileiro.

Fonte: 010 - SECOM/GOV-RO

Noticias relacionadas

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias