Sexta-Feira, 29 de Abril de 2016 - 23:01 (Colaboradores)

L
LIVRE

FRAUDE - ÔNIBUS DO CONSÓRCIO SIM ESTÁ COM PLACA CLONADA DE MOTO DE MACAPÁ

A placa: NEN 7678, que em uma rápida consulta no aplicativo SINESP CIDADÃO, pude constatar que a placa é de uma MOTO HONDA/CG FAN KS 125 2011/2011 de cor vermelha e da cidade de Macapá, cidade de onde veio a maioria dessas sucatas que estão trafegando pela cidade.


Imprimir página

Ontem foi um dia de festa para o Consórcio SIM, prefeitura e população. Enfim, o "grande consórcio SIM apresentou uma frota com 43 ônibus novos," embora o que eu entenda como Zero Km é um veiculo fabricado em 2016 e esses são de fabricação 2014/2015, mas tá valendo. 

Hoje, um dia depois do circo desarmado, o munícipe volta a dura realidade da fraude que é a prestação de serviço, nada mais nada menos que 4 ônibus foi flagrados por internautas, no prego nas ruas da cidade, e outros dois envolvidos em acidentes. O curioso disso é que as 17 horas, esse blogueiro estava trafegando pela Av. Amazonas próximo a Av. Mamoré e se deparou com mais um veiculo atrapalhando o trânsito, no prego. A placa: NEN 7678, que em uma rápida consulta no aplicativo SINESP CIDADÃO, pude constatar que a placa é de uma MOTO HONDA/CG FAN KS 125 2011/2011 de cor vermelha e da cidade de Macapá, cidade de onde veio a maioria dessas sucatas que estão trafegando pela cidade. 

Para não restar duvidas, foi solicitada a uma viatura da PM que fizesse uma consulta ao CIOP e o resultado foi o mesmo.


(FOTO - CONSULTA SINESP)

Que o Consórcio SIM é uma fraude, isso ninguém tem duvida nenhuma, agora utilizar veículos com placa clonada, isso já passou dos limites. Depois de três meses de contrato, dezenas de carros ainda estão com Placas de Macapá/Ap e São Paulo,  mesmo que a legislação prevê que teriam que fazer a transferência em até 30 dias, o Consórcio continua atropelando a legislação.

A placa traseira do referido veículo já é uma verdadeira fraude e afronta a legislação do transito brasileiro. Vejam:


(FOTO DA PLACA TRAZEIRA)

Fonte: Carlos Caldeira

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias