Sexta-Feira, 06 de Abril de 2018 - 09:48 (Economia)

L
LIVRE

FALTA DE CAPITAL DE GIRO É O SEGUNDO PRINCIPAL PROBLEMA QUE FAZ AS EMPRESAS FECHAREM AS PORTAS

Consultor financeiro alerta que muitas empresas abrem falência quando começam a fazer do cheque especial o capital de giro.


Imprimir página

Resumidamente o capital de giro é o valor em caixa para cobrir despesas da empresa ou o total de recursos financeiros disponível para garantir o funcionamento do negócio.

De acordo com pesquisa de 2013 sobre a sobrevivência das empresas realizada pelo SEBRAE, mais de 60% das empresas fecham as portas principalmente por falta de planejamento. E dentre os problemas no plano de negócios está o capital de giro insuficiente ou até mesmo inexistente.

O consultor empresarial, Adriano Nodari, explica que principalmente empresários de pequenos negócios costumam ignorar a importância do capital de giro, mas que também há casos de médias empresas que não dão importância a este recurso:

“O primeiro problema que faz as empresas fecharem é a falta de vendas, e o segundo é a falta do capital de giro. Esse problema costuma ocorrer porque toda vez que há uma sobra de dinheiro, muitos empreendedores, por falta de planejamento estratégico, por não terem conhecimento ou por uma má escolha emocional, querem gastar; ou investem em mais equipamentos sem planejamento; ou querem a partir da sobra do dinheiro, aumentar a divisão de lucros e até mesmo investir em algo pessoal”, ressalta.

Nodari também alerta que muitas empresas fazem do cheque especial o capital de giro e esse é um caminho para o insucesso, já que os juros são exorbitantes.

Entenda o capital de giro

A empresa compra o produto do fornecedor, recebe o produto e paga por ele. Passa a compor o estoque, vai para a prateleira e finalmente é vendido ao cliente (em muitos casos com prazo) e, finalmente, esse dinheiro entra no caixa.

Desde o momento em que o dinheiro saiu do caixa (pela compra) até retornar (pela venda), nesse intervalo de tempo houve despesas como: contas de energia, aluguel, salário de funcionários etc. É essencial que se tenha um montante de dinheiro que cubra essas despesas dentro desse período.

Como saber qual a quantidade necessária de capital de giro?

Cada negócio demanda uma quantia de capital de giro e para que o empreendedor faça esse cálculo do quanto é necessário, é importante que tenha o controle das finanças em dia e para que se faça essa análise, alguns pontos precisam ser levados em conta, tais como:

Das compras realizadas dos fornecedores, como o pagamento é realizado? Há casos em que se combina o pagamento de cinquenta por cento à vista e cinquenta por cento a prazo. Neste caso específico, a média de prazo de pagamento a fornecedores é de quinze dias.

Qual o custo fixo do negócio? Em relação ao custo fixo mensal, leva-se em conta o aluguel, contas de energia, salários de funcionários, conta de telefone etc.

Qual o valor do custo variável mensal do negócio? Custos variáveis são aquelas despesas relacionadas com a venda ou produção do produto ou serviço, como por exemplo, valor de matéria-prima, custos financeiros relacionados às vendas, entre outras despesas.

Levando-se em conta os custos variáveis e custos fixos, é importante que se tenha um valor aproximado de custo diário e mensal. E a ferramenta imprescindível que auxilia no controle da necessidade de capital de giro, diária e mensal, é o Fluxo de Caixa.

Maneiras de calcular o capital de giro

O consultor empresarial explica duas formas diferentes de calcular o capital de giro:

1# Que seja igual ao valor das contas a receber somado ao valor que se tem das mercadorias em estoque, menos o valor das contas a pagar: “O resultado dessa conta representa a necessidade de capital de giro para suprir as necessidades da empresa que vão desde cobrir um mês de menos vendas a cobrir um caso de gastos inesperados em determinado mês”, esclarece Nodari.

2# Outra maneira simples de calcular o capital de giro é que seja de três a seis vezes o custo fixo do negócio. Exemplo: se o custo fixo é de dez mil reais, o capital de giro ideal deverá ser de trinta a sessenta mil reais.

Como levantar o capital de giro?

Nodari orienta que há duas maneiras de viabilizar o capital de giro: o empresário pode se utilizar de capital pessoal e aplicar como reserva na empresa, ou, pode estipular uma meta e economizar uma determinada quantia por mês para levantar o capital de giro necessário.

Se o empreendedor estiver encontrando dificuldades para conseguir colocar as finanças em dia, pode recorrer a consultorias financeiras de confiança.

Literalmente o capital de giro é responsável por fazer a empresa ‘girar’, e sem este recurso, o negócio em longo prazo pode se prejudicar a ponto de não conseguir se reerguer em um primeiro momento de dificuldades.

Fonte: 015 - Assessoria

Noticias relacionadas

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias