Domingo, 12 de Junho de 2016 - 21:20 (Colaboradores)

L
LIVRE

EXCLUSIVO – NEM O EXÉRCITO ACEITA ASSUMIR OBRA DOS VIADUTOS DE PORTO VELHO

A possibilidade de o exército vir a assumir a obra foi levantada primeiro pelo senador Valdir Raupp e posteriormente pelo senador Acir Gurgacz, ambos com interesses claros nas eleições 2016 e 2018.


Imprimir página

O diretor geral do DNIT Nacional, Valter Casimiro Silveira, esteve reunido neste final de semana com a Diretoria de Obras de Cooperação do Exército Brasileiro, onde foi discutir a possibilidade do 5º BEC assumir a conclusão das obras dos viadutos de Porto Velho e o resultado da conversa não foi nada agradável para a população da capital: O SETOR DE ENGENHARIA DO EXÉRCITO NÃO ASSUME OBRAS INACABADAS E COM EMBARGOS JUDICIAIS!

E a Novela Viadutos de Porto Velho segue sem data para ter seu capítulo final. O Consórcio EQUIPAV até que tentou recomeçar a obra, mas o impasse criado com a determinação do Tribunal de Contas da União (TCU) exigindo a assinatura de um termo aditivo para que a empresa vencedora da licitação assuma a responsabilidade técnica pelas obras já executadas, fez com que eles recuassem e agora o contrato está em fase de cancelamento. 

A possibilidade de o exército vir a assumir a obra foi levantada primeiro pelo senador Valdir Raupp e posteriormente pelo senador Acir Gurgacz, ambos com interesses claros nas eleições 2016 e 2018.

ÓRFÃO – NINGUÉM MAIS QUER SER PAI DOS VIADUTOS, NÃO QUEREM SE QUEIMAR!

Na última terça feira (07/06), em sessão na Câmara de Vereadores de Porto Velho, bem que a vereadora Ana Maria Negreiros tentou chamar à responsabilidade de seus pares para que todos se unissem no sentido de acharem uma solução o mais rápido possível para esse problema que já beira os 10 anos em nossa capital, mas o máximo que ela conseguiu foi um discurso do vereador Jair Montes, que antes, fez um grande rodeio para dizer que “esse caso dos viadutos é um caso perdido, que nunca vai sair”. Todos os outros vereadores que estava na sessão, simplesmente calaram. 

No ano passado vários vereadores se dividiram em duas comissões, como tudo pago pelo erário, foram a Brasília “resolver a situação” e na volta, apareceram muitos pais, tios, padrinhos…

Na ALE/RO não se vê nenhum movimento, entre os 24 deputados estaduais, no sentido de entrar na briga para cobrar o reinício e o término dessa obra.

Nenhum dos 08 Deputados Federais também dá uma única palavra e nem move uma palha. Nem Expedito Neto e muito menos Mariana Carvalho, que agora parece que vai assumir o papel de pré-candidata a prefeita da capital.

Pelo jeito, a saga da nossa população com os transtornos desses esqueletos de obras ainda vai levar muito tempo para chegar ao fim. Nossos representantes são tão fracos ou tão “incompetentes” quando se trata de cobrar em prol da capital, que nem uma simples cobrança de iluminação da Ponte sobre o Rio Madeira e da iluminação da BR, sentido Acre até a Vila Princesa, eles são capazes de fazer.  

Fonte: Carlos Caldeira

Noticias relacionadas

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias