Terça-Feira, 07 de Novembro de 2017 - 09:12 (Colaboradores)

L
LIVRE

EXATAMENTE HÁ UM SÉCULO, O COMUNISMO PASSAVA DE TEORIA À REALIDADE

PERGUNTINHA: Campeão nacional no crescimento de crimes de latrocínio (assalto ou roubo seguido de morte), com mais de 124 por cento nos índices oficiais, você acha que a segurança pública de Rondônia está melhorando, como alegam nossas autoridades?


Imprimir página

O 7 de novembro, há exatos um século atrás, marcou uma das maiores – e mais trágicas mudanças -  na política e na sociedade em todo o mundo. Ocorria o nascimento do comunismo, surgido na União Soviética, pondo em prática as teorias de Karl Marx e de Engels.  A Revolução Vermelha de 1917 deu início a um sistema de governo que se espalhou por algumas regiões do Planeta e que sobrevive até hoje, não só em nações gigantescas como a China, com mais de 1 bilhão e 370 milhões de habitantes, como na minúscula e fechadíssima Coreia do Norte, que, todos os dias, ameaça o mundo com uma guerra nuclear. O comunismo é uma doutrina social, que exige o restabelecimento do que se chama de "estado natural", em que todos teriam o mesmo direito a tudo, mediante a abolição da propriedade privada. Os ensinamentos teóricos de Marx e depois Engels, foram a base para a formação dos “sovietes”, conselhos de operários, soldados e camponeses, que formavam uma espécie de base de apoio ao governo central que, ele sim, no comando, tinha todo o poder. Lenin foi o primeiro grande líder da República Socialista da União Soviética, mas sua morte prematura trouxe para História um dos maiores criminosos de todos os tempos, Joseph Stálin (em russo, stálin quer dizer “de ferro”). Foi sob a ditadura dele que se fez a coletivização da produção agrícola; criaram-se os gulags, campos de concentração para inimigos do regime, na Sibéria; a morte de milhares de oficiais do Exército, em expurgos para acabar com eventuais sucessores. Num primeiro momento, pela fome causada ao povo, pelo menos 5 milhões de russos morreram sob a mãe de ferro de Stálin. Há historiadores que falam que houve, no total, 20 milhões de mortos no stalinismo. Outros 20 milhões foram mortos na Segunda Guerra. Mas foi sob o regime stalinista que os soviéticos começaram a derrotar os alemães nazistas na Segunda Guerra e, logo após o conflito, o mundo foi dividido. “Desce uma Cortina de Ferro” sobre a Europa e o Mundo”, sintetizava Winston Churchill, quando o comunismo começou a avançar.

Cem anos depois, da China à Cuba; o comunismo e seu subproduto, o socialismo, ainda estão muito vivos em várias partes do mundo. Na América Latina, onde ele foi derrotado por sucessivos governos de direita ou de reações das Forças Armadas, como no Brasil, há sempre uma  minoria barulhenta a defendê-lo. Países como a Venezuela, Bolívia e Equador têm hoje governos de esquerda, mas, com exceção do país de Nícolas Maduro, as demais repúblicas ainda são geridas pela democracia. O comunismo soviético começou a morrer com a queda do Muro de Berlim, em 1969, mas, um século depois, é ainda um tema apaixonante, para se discutir em todo o mundo.

ROUBANDO A PRÓPRIA CIDADE

Como melhorar uma cidade em que parte dos seus moradores ao invés de ajudarem a melhorar as coisas, as destroem? O prefeito Hildon Chaves, que está viajando pela China, denunciou que a Prefeitura colocou 40 metros quadrados de grama no Trevo do Roque e, pouco mais de 72 horas depois do plantio, toda a grama recém plantada foi roubada. HIldon, visivelmente irritado, protestou, mas afirmou no vídeo, postado nas redes sociais, que a Prefeitura fará tudo de novo, ou seja, vai plantar tudo de novo. Ele aproveitou para registrar também seu protesto contra porto velhenses que estão roubando fiação e luminárias da iluminação pública da Capital, citando roubos ocorridos na Estrada dos Japoneses e na Estrada de Ferro Madeira Mamoré. A Prefeitura está pedindo apoio aos que gostam mesmo da sua cidade, para que denunciem os ladrões, para que comuniquem as autoridades. Segundo o Prefeito, são muito poucos que causam esses danos todos ao patrimônio, mas eles precisam ser contidos. É incrível uma coisa dessas. Quarenta metros quadrados de gramas roubados pouco depois de serem plantadas, já é demais! A Prefeitura mandou plantar tudo de novo...

NOVELA ALAGADA

Por falar na Capital, mais um drama, outro triste capítulo de uma novela que já dura décadas e, ao que parece, jamais terá final feliz. Bastaram algumas horas se chuva forte sobre Porto Velho, na madrugada de segunda, para que vários bairros ficassem completamente alagados, com dezenas de casas invadidas pelas águas. Vai ano e vem ano; troca-se Prefeitos; o calendário vai em frente, mas, na questão das alagações, a principal cidade do Estado continua vivendo no passado, com suas ruas transformadas em lagoa; com residências semidestruídas; com perdas de muitos bens, por vezes todos os bens, das famílias. Se promessa acabasse com essa vergonhosa situação, seríamos, sem dúvida, a cidade mais perfeita do país, nesse quesito. Há pelo menos 30 anos se ouve a garantia que será esse o último inverno amazônica com as mesmas cenas dramáticas. Inúmeras ruas foram atingidas pela chuvarada desta segunda. Um dos exemplos é a rua Curimatá, no bairro da Lagoa, há três décadas abandonada, mesmo com todas as promessas de todas as autoridades de todos os níveis, de resolver o problema. Os pobres moradores passaram a madrugada inteira tentando salvar alguma coisa de suas casas, naquela rua. Poucos conseguiram...

ASSALTO AO NOSSO BOLSO

Parece um pesadelo apenas, mas infelizmente, é real. O preço da botija de gás de 13 quilos, aquela que todos usam para cozinhar,  saltou, em poucos meses, de pouco mais de 45 reais para até 70 reais em Porto Velho. Isso mesmo. O preço médio deveria ser, nessa semana, de 65 reais, com o novo reajuste de 4,5 por cento que nos empurraram goela abaixo nessa semana. Mas comerciantes que deveriam merecer o desprezo do consumidor, correram para aumentar a botija em mais 5 reais, por conta própria. Fosse num país sério, de leis que realmente protegem a população, essas safados não só seriam multados, como teriam suas portas fechadas. Mas aqui é o Brasil, onde assassino é tratado como Sua Senhoria e colono pode apodrecer na cadeia se matar uma paca. É impressionante o desrespeito com que os clientes são tratados. Onde está mesmo quem fiscaliza e faz respeitar o badalado Código do Consumidor? Onde está, aliás, alguma coisa que se pudesse chamar de governo sério?  Somos mesmo um povo que nasceu para ser maltratado por esses malandros do poder e seus asseclas. O caso do gás é apenas mais uma pegadinha que nos impõem. Nada podemos fazer...

TUDO CERTO, MAS...

O Hospital de Base deu um salto de qualidade no atendimento aos pacientes e em quase todos os quesitos que se vá analisar. Seria uma enorme injustiça não reconhecer o esforço que vem do comando da Secretaria de Saúde, via Williames Pimentel e equipe, até os médicos e toda a troupe de enfermagem; enfim, de praticamente toda a estrutura, para que as condições do enorme hospital melhorassem significativamente. O que há, ainda, que precisa ser corrigido, é o controle exagerado, por vezes irritante e até com uma ponta de burrice, em relação às visitas. Há casos em que apenas duas pessoas da mesma família podem visitar o doente, por uma hora. Até aí, compreende-se. Onde está a burrice, então? Numa questão simples. O HB não permite que uma pessoa que entrou para ver o internado, possa ser substituída por outra da família. Ou seja, alguém ficar meia hora no quarto e, para que se cumpra a regra de apenas dois familiares ao mesmo tempo, que um deles ou ambos saiam e sejam substituídos por outros visitantes, certamente também angustiados para verem o doente. São essas bobagens burocráticas que acabam irritando quem  vai ao Hospital . Sem necessidade alguma.

A  SAÚDE BÁSICA VAI MAL...

Por falar em saúde pública, enquanto a estrutura do Estado tem melhorado em vários segmentos (incluindo o “Hospital Invisível”,  apelido daquele estrutura em que mais de 250 pacientes são atendendo por uma equipe de multiespecialistas em suas próprias casas), a municipal, em Porto Velho, não sai do lugar, ou seja, está ainda muito longe do ideal. O problema já se arrasta há anos. Desde o governo Roberto Sobrinho, quando o sistema básico funcionava com eficiência e havia postos de saúde, como o Ana Adelaide, que eram referência na qualidade do atendimento, que a situação só piorou. Na administração de Mauro Nazif, a saúde avançou muito pouco em quatro anos. Neste quase primeiro ano de Hildon Chaves, a nota para a saúde continua baixa, principalmente em relação ao atendimento das UPAs. Falta de médicos, principalmente, mas também de medicamentos, materiais simples até para curativos e estrutura de atendimento são problemas que já duram pelo menos cinco anos, sem qualquer avanço. Está na hora do assunto ser colocado como prioridade de verdade. Se o Estado conseguiu, por que a Prefeitura não consegue?

POLÍTICA COM UM POUCO DE HUMOR

Já que é tempos de se falar em comunismo, pela primeira vez em 28 anos, o PC do B, o sucessor do Partidão no Brasil, decidiu anunciar oficialmente que terá candidatura própria em 2018, deixando enfim a aliança que manteve com o PT após quase três décadas. E o personagem escolhido pode não ser o melhor, mas sem dúvida alguma será o mais bonito, entre todos os que vão disputar o Planalto no ano que vem. Trata-se da bela deputada estadual gaúcha  Manuela D´Ávila, que teve dois mandatos de deputada federal e concorreu à Prefeitura de Porto Velho e ao Governo do Rio Grande do Sul, nunca chegando a ter chances reais de vitória. Manuela é comunista convicta, embora goste mesmo é de fazer compras na capitalista Nova York. Aos 36 anos, ela só vê aspectos positivos no marxismo e propaga, por exemplo, que o celular foi inventado pelos russos, nos tempos da União Soviética. Não foi. Mas, mesmo assim, dona Manuela fala as coisas com tanto charme e convicção, que pode até convencer ao menos parte do eleitorado de que ela tem como comandar esse Brasil onde, ao menos nos últimos anos, só tivemos presidentes incompetentes. E feios...

PERGUNTINHA

Campeão nacional no crescimento de crimes de latrocínio (assalto ou roubo  seguido de morte), com mais de 124 por cento nos índices oficiais, você acha que a segurança pública de Rondônia está melhorando, como alegam nossas autoridades?

Fonte: 010 - sergio pires/newsrondonia

Noticias relacionadas

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias