Sabado, 30 de Setembro de 2017 - 22:08 (Eventos)

L
LIVRE

EX-BAILARINO DA BANDA CALYPSO MINISTRA DANÇA DE SALÃO EM PORTO VELHO

Um pouco da história e cultura desse fantástico bailarino paraense


Imprimir página

Por Gleice Albuquerque

Nosso país é rico em diversidades de danças. A cultura amazônica, por exemplo, que recebeu importante influência dos povos indígenas, tem outras preferências musicais. Nossa região possui cultura, hábitos e tradições que persistem e quase não foram alterados através dos tempos. 

O professor e coreógrafo Rolon Ho, 33 anos, educador físico, é paraense e começou sua relação com a dança desde muito cedo. Uma de suas maiores fontes de apoio partiu de sua família, onde sua mãe dava todo incentivo.

Com essa base, aos 10 anos de idade Rolon já dançava lambada ao som do cantor Beto Barbosa em apresentações de escola. Sua carreira profissional deu-se início aos 15 anos de idade, quando um professor o convidou para participar de um projeto escolar, onde ele ganharia uma bolsa para aprender a dançar. No começo houve certa resistência da parte de Rolon, mas com o passar das aulas ele se apaixonou verdadeiramente, e se aperfeiçoou em Dança de Salão. Permaneceu nesta escola durante 5 anos, após esse período fez ballet clássico por 1 ano em outra escola.

Até em que determinado evento Joelma e Chimbinha estavam presentes e o convidaram Rolon para ensaiar com seus bailarinos. Depois de 2 semanas de treino, a cantora Joelma o convida para ir embora com a Banda Calypso. A partir deste momento Rolon gravou o DVD ‘Band Calypso na Amazônia (2004)’ e também conheceu o mundo, dentre eles Estados Unidos, Suíça e Portugal. O trabalho com a banda durou 2 anos.

Em 2005 Rolon voltou à sua terra natal e conheceu a Cia de Danças Cabanos e a partir daquele momento ele ganhou o apoio de outras pessoas. Porém em determinada época os responsáveis desta companhia foram saindo e para dar continuidade Rolon tomou a frente desde projeto, uniu-se com outros dançarinos e expandiu tornando-a uma escola de dança onde hoje atua como diretor. As aulas ministradas são de dança de salão, entre elas estão: Samba, Bolero, Brega, Forró, Bachata, Zouk, Salsa e Merengue. A companhia também possui um site www.ciacabanos.com.br , onde outras pessoas também podem participar. 

Durante sua trajetória Rolon conquistou títulos importantes:

- Oscar Paraense de melhor espetáculo em teatro e dança realizado pela Cia de dança Cabanos com a peça Subúrbios (PA);

- Prêmio pela Câmera dos Vereadores como patrimônio cultural de Belém do Pará;

- Vencer um concurso de samba de gafieira no Rio de Janeiro;

- E em 2018 estará presente no concurso de dança Gafieira Brasil onde fará parte do corpo técnico.

Atualmente Rolon trabalha com 4 escolas de dança de salão, espetáculos pela sua Companhia e viagens com workshops. Para ele a muito que se conquistar, pois ainda encontra dificuldades nesse ramo (dança) e almeja que essa profissão seja reconhecida e valorizada. Há muitos preconceitos e por esse motivo pretende expandir seus projetos pelo país e no exterior também. Porém sem perder suas raízes, pois é em Belém do Pará que Rolon tem seus maiores tesouros, seus 3 filhos.

Rolon Ho agradece ao apoio do professor Marrone Lima, Companhia Stravadança e futuramente pretende voltar a Porto Velho com novos projetos. Também aconselha aos colegas de profissão que não desistam dos seus sonhos, que invistam em conhecimentos, pois com determinação e foco é possível vencer desafios. 

Apoio: Restaurante Bom Apetite

AGENDA EM PORTO VELHO

Obs: As aulas iniciaram na sexta (29) e encerrarão domingo (01), na escola de dança Ray Quintino.

Horários:

⚬Sábado das 15h às 18h (inciante/ intermediário/avançado);

⚬Domingo das 16h às 20h30min (inciante/ intermediário/avançado).

 Após a aula de sábado (hoje), acontecerá o baile Stravadança no Mestiço Brasil, das 23h às 3h. 

Maiores informações: Marrone 9 9242-8739

Fonte: Gleice Albuquerque

Noticias relacionadas

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias