EVO MORALES VAI PROCESSAR O BRASIL PELA ALAGAÇÃO NA BOLÍVIA - News Rondônia Todos os esforços por parte do governo e município estão sendo posto, inclusive com a chegada de equipes de Bombeiros da Força Nacional.

Porto Velho,

Domingo , 23 de Fevereiro de 2014 - 12:25 - Colaboradores


 


EVO MORALES VAI PROCESSAR O BRASIL PELA ALAGAÇÃO NA BOLÍVIA

Todos os esforços por parte do governo e município estão sendo posto, inclusive com a chegada de equipes de Bombeiros da Força Nacional.

ImprimirImprimir página


Foto: Secom / Acre

Sexta pela manhã moradoras desta região precisaram contar com a sorte e a paciência para poder atravessar a cidade com destino ao centro, onde fica a maioria das repartições públicas. No baixo, Madeira onde estão os distritos, como São Carlos, Calama, e Nazaré a situação passou de critica para calamidade pública.


Foto: Marcos Freire/ Secom Rondônia

Todos os esforços por parte do governo e município estão sendo posto, inclusive com a chegada de equipes de Bombeiros da Força Nacional. Também está na ação, as Forças Armadas. No mesmo momento em que as famílias são alertadas e trazidas para a cidade umas para abrigos, outras casas de parentes, muito animais estão ficando pelo caminho. Como os cachorros, gatos, galinhas e até mesmo os bois.

Nas fotos tiradas pela equipe do Instituto de Colonização e Reforma Agrária (Incra), que também está dando suporte humanitária, aos náufragos flagrou dezenas de galinhas, cachorros deixados e vivendo em situação de desespero. Pela rede social Facebook amigos tentam em campanha colaborar para a compra de alimentos como ração para cães, gatos e milho. Algumas pessoas já deram a sua contribuição.

A cheia que segundo informações tem um agravante com a construção das Usinas Hidrelétricas fez o governo do Estado decretar na semana passada Estado de Emergência, podendo a qualquer momento decretar estado de calamidade pública. Na quarta-feira (19), o governador Confúcio Moura sobrevoou as regiões alagadas e não gostou nada do que viu de cima. “Muito triste a situação. A ponte do Araras, distrito de Nova Mamoré está submersa. Estrada em baixo d’água. Tão cedo voltará a ser trafegável. Na Br-364, no antigo Mutum Paraná, o transito foi interrompido, para carros pequenos. Na sexta-feira (21), a Polícia Rodoviária Federal (PRF), proibiu o acesso até mesmo de carretas, por conta de uma lamina d’água, com mais de 50 cm na rodovia.


Foto: Secom / Acre

O Estado do Acre está isolado do restante do Brasil, e impedido de receber alimentos e combustível. A Bolívia também é outro país que não tem o que comemorar. O Estado do Beni, visinho a Rondônia está sendo obrigado a socorrer sua população. Em Guayaramerim, na divisa com Guajára-Mirim o problema é alagação dos bairros próximos ao rio Mamoré.

O ministro do Desenvolvimento da Bolívia, Ruan Ramón Quintana, braço direito do presidente Evo Morales esteve esta semana na cidade vendo de perto os estragos, em contanto com fontes políticas do país afirmam que caso seja comprovado que as alagações dentro país tem relação direta com as barragens de Santo Antônio e Jirau, Evo Morales pretende entrar com uma ação contra o Brasil e acusá-lo da tragédia no país boliviano.

NOTICIAS RELACIONADAS

Fonte: Emerson Barbosa/NewsRondonia

Comentários do Facebook

Veja Também

Publicidade

  • Http://www.Auto-doc.pt