Segunda-Feira, 13 de Agosto de 2018 - 21:20 (Polícia)

14
Não recomendado para menores de 14 anos

“EU SOU O DEMÔNIO”, DISSE HOMEM QUE MATOU O PAI A PMS

O rapaz, envolvido com magia negra e feitiçaria, teria premeditado o crime, de acordo com apurações da Polícia Civil


Imprimir página

 

CARLOS CARONE

DISTRITO FEDERAL - Investigadores da 38ª Delegacia de Polícia (Vicente Pires) acreditam que o homem que matou o pai e tentou matar a mãe, na madrugada desta segunda-feira (13/8), premeditou o crime. Gabriel Lima Braga, 23 anos, teria escondido a chave do quarto do casal e impedido que a porta fosse trancada por eles. Ambos foram esfaqueados enquanto dormiam. Em surto, o rapaz chegou a se apresentar como o “demônio” para os policiais militares que o prenderam.

Quando chegaram à residência da família, os dois PMs encontraram uma cena de terror. Eles precisaram pular o muro e arrombar a porta de entrada. Ao escutar os gritos de socorro da mulher, os militares entraram no quarto e viram o cômodo banhado em sangue. José Pereira Braga, 57 anos, agonizava no chão, enquanto Josenita Lima Braga, 50, estava toda ensanguentada, com cortes no rosto, pescoço e braços.

Naquele momento, os policiais escutaram da mãe que o autor do crime teria sido o próprio filho. Gabriel estava trancado no quarto dele. Os policiais arrombaram a porta do cômodo e foram atacados pelo rapaz, que precisou ser imobilizado e algemado, enquanto dizia ser o “demônio” e proferia frases desconexas.

Expulso de casa

O pai do rapaz não resistiu e morreu por volta das 4h, no Hospital Regional de Taguatinga (HRT). A mãe, apesar de ferida, já recebeu alta médica. Quando ainda estava internada, ela foi ouvida por policiais civis. A mulher informou que o filho costumava causar muitos problemas para a família, mas nunca havia a agredido fisicamente, somente maltratado o pai.

Josenita disse que tinha colocado o jovem para fora de casa, mas acabou deixando ele retornar. Segundo ela, o filho tem envolvimento com magia negra, feitiçaria e bruxaria.

A mulher contou que, quando retornou da igreja com o marido, percebeu que a chave do quarto não estava na porta. Ela estava sonolenta quando ouviu o marido gritando. De acordo com o relato, o filho esfaqueou o pai por diversas vezes.“Ele falava ‘eu amo vocês, mas eu tenho que fazer isso’”, revelou. O casal teria pedido misericórdia, mas o filho não cessou os ataques.

Ainda segundo o depoimento, algo chamou atenção de Gabriel, que foi para a sala. Nesse momento, a mãe conseguiu puxar o marido, fechar a porta do quarto e arrastar a cama para bloquear a passagem. Ela acionou a Polícia Militar e, quando os PMs chegaram, ela gritou para eles arrombarem a porta.

Fonte: metropoles

Noticias relacionadas

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias