Sexta-Feira, 06 de Abril de 2018 - 17:03 (Política)

L
LIVRE

'ESTOU ENVAIDECIDO DE TER SIDO GOVERNADOR. FUI UM PREFEITÃO', AVALIA CONFÚCIO

Confúcio fez um pequeno resumo de sua trajetória à frente do Governo nos dois mandatos. Ele reforçou que “as minhas propostas e leis, muitas delas, só darão frutos daqui a 35 anos. Como é o caso da Previdência Complementar.


Imprimir página

Considerado, agora ex-governador, Confúcio Moura (MDB) usou seu espaço na internet, o Blog do Confúcio, para enviar uma mensagem de despedida aos seus seguidores sobre saída do executivo rondoniense. Na mensagem intitulada “Reta Final”, Moura afirmou hoje (06) que não foi um governador e sim “prefeitão” do estado.

“Hoje, é meu último dia à frente do Governo. E ao mesmo tempo é o primeiro dia no rumo a novos desafios. A idade não me esmorece, mas, me empurra para o risco, como uma força estranha que me embala para contribuir com este Estado e com o nosso país. Sete anos e três meses de mais alegrias que agonias. E eu me honro por tudo que fiz e deixei para as gerações futuras, uma expectativa boa e positiva. Não cabe neste Estado voluntarismos e nem irresponsabilidades. E mergulhar fundo em investimentos em tecnologia da informação, chegar bem dentro, deste mundo dominados por plataformas, entrar nelas, não ser impetuoso com criação de mais despesas com pessoal”, escreveu.

Confúcio fez um pequeno resumo de sua trajetória à frente do Governo nos dois mandatos. Ele reforçou que “as minhas propostas e leis, muitas delas, só darão frutos daqui a 35 anos. Como é o caso da Previdência Complementar. Temos que aumentar a capacidade de investimentos do Estado, para distribuir a riqueza para todos” e disse que “peguei um estado oco. Sem memórias e sem arquivos seguros. Recebi dívidas e as paguei todas. Os salários pagos dentro do mês e estão garantidos até o final deste ano. Rondônia modernizou-se e o empresariado do campo e da cidade investiu pesado”.

Ainda no texto de despedida, escreveu que “Cheguei a decretar calamidade pública na saúde, pois a situação era caótica. E deixo obras com recursos na área da saúde para serem entregues no futuro. E rogo que nenhum governo do futuro ouse tirar Rondônia destes eixos, porque ainda é um Estado frágil e que necessita de governos responsáveis”.

Aos servidores prestou agradecimentos e afirmou que deixou o estado sem dívidas. “Quero agradecer aos servidores públicos que me ajudaram a governar. E muito mais todos os secretários que se doaram de corpo e alma ao trabalho devoto pelo Estado. Reduzi o número de secretarias, de cargos comissionados, cortei combustível, diárias e muita coisa desnecessária. Assim, recuperamos nossa saúde financeira e conseguimos enfrentar uma grande enchente de 2014, sem deixar o Estado atolado em dívidas!”, comentou e acrescentou “Investimos na valorização do servidor público, implantando PCCRs, realizando novos concursos, criando a Escola de Governo, criando a carreira de gestor público. Tudo isso em prol de um Estado que serve melhor ao cidadão rondoniense. Com a implantação dos novos sistemas tecnológicos o governo ficou mais leve, mais rápido e transparente!”

Por fim, o executivo afirmou que não “fui Governador no seu sentido vernacular. Eu fui o PREFEITÃO deste Estado. Tive presente nos municípios. Ao lado dos vereadores e prefeitos. Dividi o pão com eles. Sou agradecido por tudo. Estou envaidecido de ter sido Governador”.

Concluindo ainda sua fala, ele citou as palavras do apóstolo Paulo, discípulo de Jesus Cristo e reafirma que encerrou o ciclo como gestor do estado com um bom combate e colocou seu nome como candidato a um novo desafio mirando as eleições de outubro.

“Quero, humildemente, emprestar as palavras do apóstolo Paulo para encerrar esse ciclomaravilhoso da minha vida pública e dizer que “combati o bom combate, completei a corrida, guardei a fé.” E essa fé que me motiva a mais uma vez me colocar a disposição do estado para me candidatar a um novo desafio. Muito obrigado, Rondônia!”, concluiu.

Fonte: NewsRondônia

Noticias relacionadas

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias