Quinta-Feira, 08 de Fevereiro de 2018 - 13:50 (Tecnologia)

L
LIVRE

ESTADO DE SÃO PAULO CONTRIBUI COM SISTEMAS DE TECNOLOGIA E SEGURANÇA PARA RONDÔNIA

Parcerias irão possibilitar a implantação dos sistemas Legitimação à Distância (Lead), Inquérito Policial Eletrônico, Gestor de Laudos e Detecta no Estado da região Norte.


Imprimir página

O governador Geraldo Alckmin autorizou nesta quinta-feira, 8, a assinatura de convênio do Estado de São Paulo para auxiliar a implantação do Sistema de Legitimação à Distância (Lead) em Rondônia. As informações formarão um banco de dados entre as duas unidades da federação.

Durante evento no Palácio dos Bandeirantes, o governador também autorizou a realização de uma parceria para que a força policial paulista ajude os rondonienses a implantar projetos como o sistema Detecta, o Inquérito Policial Eletrônico (IP-e) e o Gestor de Laudos (GDL).

“Vamos formar uma rede interestadual de informações, para facilitar as investigações das polícias e esclarecimento de crimes. Com tecnologia na prevenção e investigação, garantimos mais segurança para a população”, declarou Alckmin.

“O Estado de São Paulo tem uma capacidade de desenvolvimento de sistemas e uma expertise histórica que dá uma condição melhor do enfrentamento à violência e à criminalidade”, disse o secretário de Segurança, Defesa e Cidadania de Rondônia, coronel Lioberto Ubirajara Caetano de Souza. “Sempre que os Estados do Norte precisam, encontram apoio aqui em São Paulo, especialmente na transferência de tecnologia”, completou.

No fim de janeiro, o secretário da Segurança de São Paulo, Mágino Alves Barbosa Filho, recebeu o secretário Lioberto Caetano para apresentar os sistemas e firmar um protocolo de intenções para implantação.

Legitimação à distância

O Sistema de Legitimação à Distância, criado por policiais civis paulistas, permite que todas as delegacias cadastrem e solicitem identificações por impressão digital de forma automatizada, diminuindo o tempo de espera de duas para meia hora.

A legitimação é a confirmação da identidade de uma pessoa, viva ou morta. Sendo realizada à distância, agiliza a liberação de cadáveres e a localização de pessoas desaparecidas. Além disso, ajuda o meio ambiente, com a economia de papel, já que tudo é feito online.

O atendimento Lead fica centralizado no Instituto de Identificação Ricardo Gumbleton Daunt (IIRGD), o maior da América Latina, que fica na Capital e conta com um banco de dados com mais de 15 milhões de registros civis eletrônicos.

Com a parceria, Rondônia e São Paulo começam a formar uma rede interestadual de informações, que facilita as investigações policiais e o esclarecimento de crimes. Ambos os Estados terão dados compartilhados de forma padrão e digitalizada.

A partir da assinatura do convênio, haverá levantamento e análise dos requisitos necessários para o desenvolvimento do sistema, que é a segunda etapa. Terá ainda fase de testes e validação de documentos antes da implantação e homologação do projeto.

Inquérito eletrônico

O governo paulista também autorizou, nesta quinta, a realização de uma parceria para que a Polícia Civil de São Paulo ajude os policiais de Rondônia a implantar um sistema de sucesso: o Inquérito Policial Eletrônico (IP-e), criado em julho de 2016.

O programa agiliza a expedição dos inquéritos, gerando economia de tempo dos policiais e de recursos materiais. Paralelamente, permite ainda à autoridade policial acompanhar instantaneamente as movimentações do Judiciário, como decisões sobre pedidos de prisões ou apreensões. Antes era necessário enviar o IP ao fórum, aguardar o despacho autorizando e só então dar cumprimento ao mandado.

Implantado pioneiramente na Baixada Santista, foi ampliado para 54% das delegacias do Estado, no Vale do Paraíba, no Litoral Norte e nas regiões de Bauru, Campinas, Piracicaba, Ribeirão Preto e Sorocaba.

Atualmente, há 920 unidades que possuem o sistema. Cerca de 20 mil inquéritos eletrônicos foram expedidos de forma virtual.

Gestor de Laudos

Outra parceria autorizada pelo governo é a que auxilia Rondônia a criar seu sistema Gestor de Laudos (GDL), com base no projeto que funciona em São Paulo desde 2012, nas unidades da Polícia Técnico-Científica e que facilita a expedição da conclusão de perícias.

Com o sistema, cerca de um milhão de laudos são realizados por ano pelos institutos Médico Legal (IML) e de Criminalística (IC). O sistema possui modelos de documentos prontos, o que agiliza os estudos de cada caso e acelera a expedição dos laudos – e, consequentemente, a investigação criminal.

Uma vez que o laudo é finalizado, uma cópia digital é enviada ao distrito policial que fez a requisição. Dessa forma, os investigadores e delegados ficam sabendo do resultado de uma perícia minutos após a conclusão da mesma.

Assim como o IP-e, o sistema GDL permite economizar não apenas tempo dos profissionais envolvidos, mas também materiais de impressão, combustível e pessoal para transporte da papelada.

Detecta

Os governos de São Paulo e Rondônia também realizam parceria para integração e compartilhamento de informações do sistema Detecta, o maior big data da América Latina, criado em 2014, que integra bancos de dados das polícias.

A troca de informações vai aumentar a rede de dados do sistema e o cerco policial aos criminosos, garantindo mais segurança à população. Hoje, conecta dados do Registro Digital de Ocorrência (RDO), Instituto de Identificação (IIRGD), Sistema Operacional da PM, Sistema de Fotos Criminais (Fotocrim), além de dados de veículos e de Carteira Nacional de Habilitação (CNH) do Detran.

No Estado de São Paulo, há atualmente 4.476 leitores de placas. Desse total, 2.462 estão na capital. Desde a implantação até janeiro deste ano, o Detecta ajudou a prender 6.231 pessoas em flagrante, a interceptar 4.512 veículos e apreender 420 armas de fogo.

Fonte: 012 - Secretaria de Comunicação Imprensa

Noticias relacionadas

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias