Terça-Feira, 24 de Abril de 2018 - 17:48 (Educação)

L
LIVRE

ESCOLA REFORMADA E AMPLIADA VAI ATENDER MAIS DE 1.200 ALUNOS EM UNIÃO BANDEIRANTES

Aos professores, o governador sugeriu que anotem os telefones dos pais e questionem cada vez que os alunos faltarem à aula.


Imprimir página

A Escola Estadual de Ensino Fundamental e Médio César Freitas Cassol, localizada no distrito de União Bandeirantes, em Porto Velho, vai atender, a partir de agora, mais de 1.200 alunos. Antes, eram pouco mais de 800. As novas instalações foram inauguradas, nesta terça-feira (24), pelo governador Daniel Pereira. Ele pediu aos pais que sejam rigorosos com relação à frequência dos filhos às aulas. “Se fizerem isto, haverá menos jovens em conflito com a lei no futuro”, argumentou.

Aos professores, o governador sugeriu que anotem os telefones dos pais e questionem cada vez que os alunos faltarem à aula. “Na segunda falta, visitem a família. Na terceira, tomem providências mais rigorosas, denunciem ao Ministério Público”, orientou Daniel Pereira, que relatou sua trajetória até chegar ao governo do estado e que iniciou como professor na área rural com apenas 16 anos de idade.

União Bandeirantes é distrito de Porto Velho e está localizado a 160 quilômetros da sede da capital. Deste percurso, 100 quilômetros são feitos pela BR-364. O restante é composto por estrada de terra.

A Escola Estadual de Ensino Fundamental e Médio César Freitas Cassol foi inaugurada há oito anos e atendia apenas até a 6ª série até o ano passado.

ESPAÇO

Segundo o diretor Argeu Barros, até 50 alunos chegaram a ficar numa sala em razão da falta de espaço. Ele disse que fez uma visita ao então vice-governador Daniel Pereira, a quem expôs as dificuldades e pediu mais três salas de aula. “Ganhamos 15 salas, graças à forma comprometida com que nosso pedido foi acolhido”, disse ele durante a cerimônia de inauguração.

A unidade educacional ganhou mais três blocos, onde estão distribuídos as novas salas de aula, o laboratório de informática, refeitório e cozinha, além da passarela para a quadra de esportes, onde aconteceu a solenidade.

Foram investidos quase R$ 2 milhões nas obras. Muitas escolas tradicionais não têm a estrutura que foi entregue à comunidade de União Bandeirantes, segundo avaliou Daniel Pereira.

A ampliação e reforma da Escola Estadual Cesar Freitas Cassol foi recebida festivamente por professores, alunos e pais

O ano letivo, entretanto, ainda não iniciou, apesar das expectativas de professores, pais e alunos.  Um impasse burocrático na contratação do transporte escolar, que é feito pelo município, impede o reinício das atividades. Sem os ônibus, alguns alunos precisariam sair de casa durante a madrugada para chegar a tempo para as aulas.

A situação foi lamentada pela secretária adjunta da educação estadual Francisca das Chagas, a Chaguinha. Ela foi secretária municipal da pasta por quatro anos e, conforme revelou, defendeu a ampliação da escola Cesar Freitas Cassol e o transporte escolar. “Isto não pode acontecer, educação é coisa séria”, desabafou, referindo-se à demora para a contratação dos serviços para atendimento aos estudantes.

COMPROMISSO

A melhoria na estrutura da escola é mérito do ex-governador Confúcio Moura, disse Daniel Pereira, que chefia o Poder Executivo Estadual há 18 dias.

O governador reafirmou compromisso com a educação estadual e defendeu um pacto pela qualidade do ensino. A meta é fazer com que o setor avance a partir do envolvimento de todos os segmentos sociais. A valorização do professor, segundo ele, também faz parte do compromisso do governo.

Aos pais dos alunos, o governador recomendou que imponham pelo menos duas horas diárias de atividades com livros e cadernos em casa, depois das tarefas domésticas.

O governador admitiu que administrar um distrito como União Bandeirantes, pelos problemas que apresenta, pela distância e pela área é tarefa difícil e anunciou apoio. Ao administrador Nelson Siqueira, propôs que busque ajuda com os empresários locais para um mutirão para as ruas e ofereceu como contrapartida equipamentos e operários do Departamento de Estradadas, Rodagens e Infraestrutura (DER).

Densidade populacional ainda é dúvida

Não há consenso quanto ao número de habitantes de União Bandeirantes. Seriam 25 mil moradores, mas pode ser superior a 30 mil.  Professores da escola Cesar Freitas Cassol dizem que ainda há pessoas que não transferiram o título eleitoral, fato que prejudica a avaliação.

De um mirante é possível ter noção da área geográfica do distrito. A estiagem chegou cedo e a poeira toma conta das ruas. Apenas a principal é asfaltada.

O transporte mais popular são as motocicletas e por causa das ruas esburacadas são muitas e frequentadas das oficinas mecânicas.

A economia voltada para a agropecuária é perceptível pelo número de lojas que vendem produtos para os pecuaristas e agricultores. “Daqui saem, todos os dias, 60 mil litros de leite’, disse com orgulho um morador. Outro destacou que a produção do café clonal chegou com força na região. O gado de corte é outra fonte de riquezas do distrito.

Se as ruas não têm asfalto, nem por isso há pouco movimento. Pelo contrário, o vai-e-vem de motocicletas e carros, movimento que não cessa à noite, dão a noção do que é União Bandeirantes: um lugar que cresce muito e rápido.

A 25 quilômetros  da sede do distrito surgiu outra localidade, dizem que é  “um distrito do distrito”. É Vila Petrópolis, que surge alavancada pela agropecuária e irrompe a floresta trazendo gente trabalhadora e novas perspectivas para a região.

Fonte: 010 - SECOM - GOV/RO

Noticias relacionadas

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias