Quarta-Feira, 22 de Outubro de 2014 - 12:19 (Colaboradores)

ENTRE PERGUNTAS E RESPOSTAS, POLÍTICAS ADOTADAS POR CONFÚCIO PODEM SER ‘INGÊNUAS’ PARA O ESTADO, COM ERA NO PMDB DE 20 ANOS ATRÁS

Na outra ponta da linha, já em Espigão do Oeste, ao confidenciar a possibilidade de uma suposta ‘sabotagem’, Confúcio pode ter tido suas imagens e sons captados por opositores.


Imprimir página

ESPIGÃO DO OESTE, Rondônia – Numa era em que celulares, câmeras fotográficas, filmadoras e impressoras digitais 3D se tornaram o sonho de consumo de todo mundo, nesta parte da Amazônia Nacional, o governador Confúcio Moura [PMDB] foi ao Cone Sul, depois de ir à Assembléia Legislativa falar de sabotagem ao seu Governo.

Para especialistas em produtos e serviços de inteligência ouvidos por este site, ‘a ida de velhos peemedebistas ariquemenses a um suposto ninho da extrema direita na região central do Estado, depois das denúncias de José Batista e Rômulo Lopes, também, pode ter significado uma presunção de inteligência dos deputados e ex-colaboradores que aderiram ao candidato tucano, Expedito Júnior [PSDB].

Segundo as mesmas fontes, ‘o Chefe do Executivo acredita que sempre está convicto de seus posicionamentos e se acha inatingível por informações e documentos em poder de opositores e da mídia independente; tamanha é a onda de escândalos relatados por deputados, por ex-assessores, pelo ex-governador Ivo Cassol e peemedebistas históricos alijados do Governo à Polícia Federal e à Justiça’, disseram.

Mas a ida dele ao Parlamento para as entediosas leituras de mensagens dentro do Plano Plurianual na ALE, mesmo que obrigado, ‘certamente provocou mais tensões entre o Governo e o presidente José Hermínio Coelho’, que já foi do PT e agora, abriga-se no ninho do PSD, em que pese à votação para reconduzi-lo ao plenário da Casa tenha sido considerada baixíssima, além de não contar com a derrota surpreendente de Zequinha Araújo; tido por ele como ‘puxador de votos’.  

Experiente na vivência da política regional e da Corte, em Brasília, o ex-prefeito- governador ao anunciar um suposto plano de sabotagem em desfavor de seu Governo – nova pauta para opositores e a mídia -, Confúcio Moura perdeu uma grande chance de ficar calado ao relançar-se como vítima de supostos traidores perante o povo e aos deputados.

- Ele, em quatro anos de mandato turbulento, com puxões de orelhas em dois ex-chefes da Casa Civil, na secretária da SEDAM, Nanci Rodrigues, José Batista, Rômulo Lopes, no pessoal da JUCER, SEFIN, SEJUS, SUPEL e no Cerimonial, perdeu a chance de ficar mais próximo da comunidade, como parte da base aliada confessou após a Sessão Itinerante por esta região.

Para outros analistas mais à esquerda das ações tomadas por opositores e aos sonhos de Cassol de retornar ao Palácio Presidente Vargas – arquiinimigo confesso - ‘a ação de Confúcio após as denúncias de Batista e Rômulo, ‘foi de uma extrema infelicidade’, já que acreditam que ‘a tentativa de retaliar Hermínio Coelho e ao ex-parceiro Expedito, já teria sido engendrada pelo suposto Núcleo Duro do Governo, o quase temido NDG’.

De outra forma, pode o governador, ao pedir apoio aos servidores das CIRETRANS, Emater, Idaron, Seagri, gerências da SEDAM, das Câmaras, Prefeituras e ao Parlamento as um duvidoso segundo mandato, pode não ter atentado que a oposição encerrou de cabeça para derrotá-lo, sobretudo depois que admitiu ter cometido erros grassos na forma de fazer política e governar.

Ele também, ao demonstrar agora tanta humildade, se esqueceu que moveu céu e água para saciar a base aliada na aprovação de cargos de CDS, ampliação de convênios, créditos suplementares; ou uma possível reaproximação com os deputados sob a égide do reeleito deputado Hermínio Coelho, acredita uma nova fonte investigativa.

GATO E RATO - Durante a esperada troca de acusações entre Confúcio, Procuradores da PGE, José Batista e Rômulo Lopes a ocorrer, possivelmente, na Justiça Federal, a futura Mesa Diretora da ALE/RO, pode ter na maioria das pretensões do novo Presidente, em caso de reeleição da Confúcio, o silêncio como resposta.

- E de quando em vez, um ou outro palaciano deve ser escalado para retrucar sindicalistas, deputados e opositores. Nem todos que usaram desse expediente até o apagar das luzes palacianas, o governador ‘segurou’ no cargo. O ‘troco’ com o fogo amigo foi dado a Ricardo Sá e Juscelino Amaral [Grão Mestre da Maçonaria], respectivamente, ex-ocupantes da Casa Civil, SEDUC, SESAU, SUPEL, CMR, SEDES e no Cerimonial – fatos ainda não esclarecidos, totalmente.

GEOESTRATÉGIA – Nem só com críticas os analistas ouvidos por este site tentaram explicar a desenvoltura de Confúcio pelos corredores do Parlamento, gabinetes dos deputados e agora pelos grotões do Estado. Uma parte deixou claro que, ‘nem a ALE/RO nem o governador, tem um serviço de inteligência ativo capaz de se igualarem aos planos suspeitos atribuídos a CIA[Central de Inteligência Americana]’.

Para anônimos investigadores, ‘o Palácio Presidente Vargas e a Presidência do Parlamento Rondoniense devem manter apoio na periferiao que é vital para o êxito dosprogramas políticos e de governos’. - Enquanto os poderes se digladiam, o povo passa fome e as chuvas ameaçam acabar com a Capital Porto Velho’.

HERMÍNIO ENDOIDOU – Considerado ‘habilidoso’ nas lides sindicais, na política municipal é acusado de deixar de lado algumas questões importantes ao fortalecimento da cidadania. Entre os pontos fracos apontados por opositores coletados ao longo de três mandados [dois na vereança e um deputado ainda ser cumprido, totalmente], José Hermínio Coelho, já deixou claro a que veio – continuar no poder enquanto esperar Confúcio agonizar -, mas não como uma conspiração da pilhagem do poder, disseram tarimbados tucanos.

Fonte: Xico Nery

Noticias relacionadas

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias

Http://www.Auto-doc.pt