Quinta-Feira, 29 de Setembro de 2016 - 21:03 (Colaboradores)

L
LIVRE

DIA – LOGANDO: O VOTO E O EXEMPLO, POR RENATO GOMEZ

Confira!!!


Imprimir página

- Pai, em quem você vai votar?

- Sinceramente, filho, não sei...

- Também estou na dúvida, mas acho que vou votar no candidato A.

- Por que?

- Porque ele prometeu que vai asfaltar lá no bairro...

- E isso é motivo pra você votar nele? Isso deveria ser obrigação de todos os candidatos, afinal seu bairro é um dos poucos que ainda não foram asfaltados na zona urbana da cidade.

- Verdade. E o candidato B? Ele diz que é defensor da família, da moral e dos bons costumes...

- E o que está por trás desse discurso?

- Não sei, não prestei muita atenção nas propostas dele.

- Ele pretende acentuar as diferenças sociais entre os gêneros, uma vez que é machista e homofóbico.

- Mas ele pode fazer isso? A constituição não prevê direitos iguais a todos?

- Sim ela prevê, mas ele maquia esse preconceito e essas atitudes com a bandeira da moral e dos bons costumes e, se tiver apoio do legislativo, conseguirá promover seu preconceito.

- Hum, entendi. E o candidato C? Ele diz que é adepto da nova política e que nunca foi acusado de corrupção...

- Realmente, ele nunca foi acusado de corrupção, mas é de um partido que tem mais escândalos de corrupção do que eu tenho dívidas. Ai você já conhece os ditados populares, né? “Uma laranja podre estraga toda a fruteira.” “Diga-me com quem tu andas e eu te direi quem tu és.”. Porém, se você concordar com as propostas dele, nada te impede de escolhê-lo.

- Sim, pai. Mas ai só sobra o candidato D. Mas ele está sendo acusado de corrupção.

- Acusado não é condenado, ou seja, não é culpado. A constituição também prevê a presunção de inocência. Mas é um peso contra. O que você achou das propostas dele? Você verificou o partido dele?

- Não sei, nem cogitei ele por causa da acusação.

- Ouviu as propostas dele? Se todos pensarem assim, realmente ele não terá chances. Além do que você não precisa votar nele pra ele ganhar. Vote em alguém porque concorda com as ideias e as políticas dele, isso é manifestar seu exercício de cidadania.

- Verdade, pai. Obrigado!

- Por nada. Decidiu em quem vai votar?

- Não, na verdade, estou mais confuso. Mas vou ouvir as propostas de cada um nesses dias que faltam e escolher. Pelo menos agora sei como escolher.

- Que bom, filho. Fico feliz em ter ajudado.

- Mas, pai, e você, decidiu em quem vai votar?

- Não, filho. Continuo confuso. Mas farei o mesmo que você.

Fonte: Renato Gomez

Noticias relacionadas

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias

Http://www.Auto-doc.pt