Sexta-Feira, 18 de Julho de 2014 - 17:00 (Colaboradores)

DESIGUALDADE: MORADORES DO NORTE PAGAM O TRIPLO DE IMPOSTOS EM MERCADORIAS

Gasolina, os pneus, a mecânica do automóvel e até mesmo as estradas que deveriam ser conservadas vai tudo parar no seu bolso, ou melhor no nosso.


Imprimir página

Como se não bastasse ser literalmente assaltado dentro do teu próprio país pelo governo que nos repassa embutido em tudo que é mercadoria e bens de consumo impostos absurdamente altos, ainda temos que passar por essa situação dentro do nosso Estado. Pois é, assim acontece principalmente com nós os cerca de 15,8 milhões de habitantes da região Norte.

Mas como assim? Uma pesquisa recente feita por mim mesmo descobriu que os valores dos produtos das outras regiões no Brasil, como Sul, Sudeste, Nordeste e Centro - Oeste não seguem um padrão para todos, e que a nossa economia mesmo com os impostos já pagos não funciona igualitariamente. Quem é do Sul e Sudeste paga um preço razoável, enquanto que o povo do Norte o valor do mesmo produto praticamente triplica.

Ai, você pergunta. Mas não já pagando por esse produto para que chegue até nós de forma mais em conta, sim, exatamente, porém após cruzar as divisas do teu próprio país os donos de empresas fixam com aval do próprio 'governo' o valor que bem entenderem nas mercadorias, fixando o prejuízo que deveria ser dos donos e das empresas contratadas ao consumidor final. Gasolina, os pneus, a mecânica do automóvel e até mesmo as estradas que deveriam ser conservadas vai tudo parar no seu bolso, ou melhor no nosso.

E o prejuízo não é pouco. Os mil quilômetros chegam aqui de forma assustadora, basta ir ao supermercado para comprovar a informação. Exemplo: o valor de uma sandália havaiana lançada para o mundial no Brasil, em Porto Velho é vendida numa loja da avenida 7 de setembro e Porto Velho Shopping por R$ 36,00, enquanto que a mesma sandália no Estado de Belo Horizonte (MG) custa a bagatela de R$ 16,00, diferença de R$ 20,00.

O Acre lidera a lista de estados com o preço mais caro do litro, R$ 3,37 seguido de Rondônia, Amazonas (R$ 3,13); Mato Grosso e Rio de Janeiro (R$ 3,12); e o Distrito Federal (R$ 3,09). Os motoristas pagam menos para encher o tanque no Piauí e Paraíba (R$ 2,87), Amapá (R$ 2,88), Sergipe (R$ 2,90) e Ceará (R$ 2,93). Bahia, São Paulo e Rio Grande do Sul não informaram os valores.

Nesta quinta-feira (17) em conversa com uns amigos venezuelanos sobre a política após a morte do presidente Hugo Chaves, pergunto como está situação por lá. De antemão me respondem que após alguns conflitos as coisas estão melhorando. E os preços, ainda que faltando alguns utensílios nos supermercados a economia o governo trabalha para ajustar o câmbio.

E isso ainda não é o de menos, outro grande vilão dos nortistas é o preço da energia elétrica, uma das mais caras pagas pelo consumidor no Brasil, ainda que sejamos fornecedores energia para as outras regiões. O valor do R$/kWh é equivalente a exatos 0,39194 aplicados pelas Centrais Elétricas de Rondônia S/A e aprovado pelas Agência reguladora de Energia Elétrica (ANEEL).

Saiba que somente este ano de 2014 nós pagaremos ao governo federal em imposto um total de R$ 3 trilhões, sendo que somente R$ 600 bilhões serão investidos na melhoria do país, o restante você já deve saber para onde vai, destinados a corrupção.

Fonte: Emerson Barbosa/NewsRondonia

Noticias relacionadas

  • 06.06.2017 21:36
    CASSAÇÃO DA CHAPA DILMA-TEMER: EU NÃO ACREDITO
  • 05.06.2017 13:43
    EU NÃO ME CANSO DE FALAR!!! - POR ZECCA PAIM
  • 03.06.2017 13:31
    COLUNA SOCIAL MARISA LINHARES: FACIMED
  • 02.06.2017 16:50
    CHEGOU O QUE VOCÊ ESPERAVA N-CONTROL AMANSA O VÍRUS DA MANCHA BRANCA
  • 02.06.2017 11:38
    ZEQUINHA É RECEBIDO POR TITULAR DA SEMES E DISCUTEM AÇÕES AFIRMATIVAS ÀS PERIFERIAS DA CAPITAL
  • Comentários

    Veja também

    Outras notícias + mais notícias

    Http://www.Auto-doc.pt