Quarta-Feira, 07 de Fevereiro de 2018 - 12:15 (Cidades)

L
LIVRE

DER INICIA FORÇA-TAREFA PARA RECUPERAÇÃO DE RUAS E AVENIDAS DE CACOAL

Zé Luiz destacou ainda que apenas após a base de solo cimento passar por um tempo de cura de 72 horas é que o DER fará o recapeamento com a massa asfáltica.


Imprimir página

Mesmo com o período chuvoso, o Departamento de Estradas de Rodagem (DER) iniciou uma força-tarefa para a recuperação das ruas e avenidas de Cacoal. A ordem veio diretamente do governador Confúcio Moura, que em recente visita à Cacoal anunciou a aquisição da tão esperada Usina de Asfalto para o município. A previsão é de que a usina seja instalada dentro de 90 dias, mas até lá o governador designou uma equipe do DER de Jaru para atuar na cidade.

“Enquanto a usina não chega, nós estamos focando a nossa atenção para que Cacoal tenha uma cara nova. Executando esse serviço, aplicando a massa asfáltica que já tem à disposição e a partir da instalação da usina de asfalto, Cacoal não poderá ter mais nenhum buraco. É um compromisso que nós assumimos junto à prefeita Glaucione e a população”, ressaltou o governador quando esteve em Cacoal.

Com duas bobcats, um rolo pneumático, um rolo chapa, uma vibroacabadora, caminhão espargedor, uma recicladora, uma retroescavadeira, caminhões caçamba e ainda outros veículos de apoio, as equipes do DER de Jaru e Cacoal iniciaram o serviço esta semana, pela Rua Nova Anchieta, no bairro Nova Esperança.

“Nós iniciamos pela Rua Nova Anchieta e vamos seguir até o bairro Motocross. A ideia é pegar uma rua e ir até o fim, sempre recuperando também as ruas que ficam à direita da rua principal onde estaremos atuando”, explicou o residente da Usina de Asfalto CBUQ de Jaru, José Luiz de Souza Filho.

Antes de recapear os trechos críticos, o DER está fazendo um tapa-buracos a base de solo cimento. Trata-se de um composto de rejeito de asfalto usinado (que contem cimento asfáltico/cimento líquido para usinagem, brita, pó de brita e pedrisco), e ainda cascalho com argila e cimento.

“Não adianta simplesmente jogar massa asfáltica nos buracos, pois é perda de material. Nenhuma massa pode ser jogada em um buraco com mais de seis centímetros. Por isso estamos usando esse composto, que tem 40% de rejeito de asfalto usinado e 60% de cascalho com argila. Além disso, adicionamos 2,2% de cimento tradicional”, explicou o chefe da equipe do DER de Jaru. Zé Luiz destacou ainda que apenas após a base de solo cimento passar por um tempo de cura de 72 horas é que o DER fará o recapeamento com a massa asfáltica.

Sobre à preocupação da população em relação ao período chuvoso que pode interferir na qualidade do serviço e resultar no desperdício de material, o residente do DER em Cacoal, Paulo Aquino foi enfático. “Esse é um risco que está sendo assumido pelo Governo de Rondônia, para que as ruas não causem mais prejuízos à sociedade cacoalense. Mas estamos trabalhando para garantir a qualidade do serviço e é por isso que estão sendo utilizados um rolo pneumático e um rolo liso para compacta o máximo possível o material, para que ele suporte eventuais chuvas”, garantiu.

A comerciante Zilma Castro Pereira passou parte da manhã desta terça-feira (06) acompanhando o serviço feito pelo DER. O trabalho iniciou na Rua nova Anchieta, esquina com a Avenida Malaquita, exatamente onde dona Zilma tem seu comércio há cerca de 10 anos. “Tem 26 anos que moro nesse bairro e uns 10 anos que tenho esse bar. Nunca vi fazerem um serviço como esse. Geralmente tapam os buracos, jogam aquela meleca preta, deixam aqueles montinhos, que logo começa a esparramar tudo e o buraco volta. O que eu tô vendo aqui hoje é diferente. Estão passando esses rolos aí um monte de vezes e a situação já está totalmente diferente. Agora sim dá pra gente acreditar que o serviço é diferenciado”, conclui dona Zilma.

Fonte: 012 - SECOM - GOV/RO

Noticias relacionadas

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias