Terça-Feira, 24 de Maio de 2016 - 11:41 (Colaboradores)

L
LIVRE

CYBERBULLING - POR JÚNIOR CAHULLA

Tudo bem que pode haver idéias diferentes e pode ocorrer divergências sobre o processo de impedimento e qualquer outro assunto. O que não pode ter é esse tipo de coisa, é esse tipo de diferença sobre o certo e o errado.


Imprimir página

É um ato onde não se consegue se identificar o agressor na maioria das vezes, pois quem agride tenta de todas as formas coagir quem está sendo agredido. O nome cyberbulIiyng, é adotado por alguém que sofre a agressão no meio virtual e dependo do grau da agressão que o individuo sofreu pode acarretar danos no campo da saúde física, mental de quem sofre esse tipo de "coação". Um exemplo que podemos citar é na inglaterra, pois lá já ocorreram varios suicidios por conta dessas ameaças, fofocas e intrigas na web que são rotulados como "cyberbulliyng." 

Vivemos em  um Brasil em que a juventude em sua grande parte, tem acesso  as redes sociais como: facebook, mensenger, whatsapp e etc e diante  da evolução tecnológica toda, também dá para perceber um retrocesso  absurdo, porque ao mesmo tempo em temos todas essas ferramentas, nós jovens não podemos utilizá-las para expor as nossas próprias opiniões pois sempre tem aquelas pessoas radicais demais em seus posicionamentos políticos-ideológicos,  que "dizem bom, se você pensa igual a mim, você faz parte do meu mundo de ideias, princípios e valores". Agora, o jovem não faz parte desse mundo, é tratado de maneira hostil, quando publica a sua opinião sobre o impeachment que é o assunto do sendo contra ou a favor.

Essa situação de guerra declarada nas redes sociais, causaram opiniões divergentes, o cyberbulliyng é um desdobramento do bulliyng escolar, em um país que se diz tão democrático é estranho ouvir um tema tão denso quanto esse que ultrapassa os limites do bom senso e da razão.

Tudo bem que pode haver idéias diferentes e pode ocorrer divergências sobre o processo de impedimento e qualquer outro assunto. O que não pode ter é esse tipo de coisa, é esse tipo de diferença sobre o certo e o errado. Pois vivemos em uma democracia livre onde o que não é proibido é permitido.

Podemos discutir no campo da ideia e ultrapassar para o campo da selvageria, temos que respeitar ambos os lados embora não concordamos com ideias contrárias à nossa. Então gente, pelo amor de Deus, vamos deixar que as pessoas opinem sobre o que acham, sem censura-las, sem boicota-las, sem xingá-las, sem humilhá-las em suas redes sociais, porque assim como a presidente afastada Dilma Roussef teve 54 milhões de votos em todo o país, Michel Temer também teve essa mesma quantidade de votos, e por isso tem legitimidade sim para ocupar o cargo e cadeira de presidente interino, até porque Michel Temer foi eleito em uma chapa única junto com Dilma. Por isso, reitero o que já havido dito, ninguém pode ser crucificado em suas redes por apoiar ou não, o impedimento da presidente da republica afastada DILMA ROUSSEF.

"TCHAU QUERIDA!!!, BEM-VINDO QUERIDO!!!" 

Fonte: Júnior Cahulla

Noticias relacionadas

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias