Quarta-Feira, 11 de Abril de 2018 - 09:10 (Política)

L
LIVRE

CRISTIANE LOPES SE REÚNE COM PROMOTORES E CONSELHEIROS EM BUSCA DE MELHORIAS PARA A INFÂNCIA

Na oportunidade, o representante da SEMED, Osmair Oliveira, esclareceu que o processo de licitação do transporte escolar rural já está em andamento e que as empresas já estão se apresentando.


Imprimir página

Com o objetivo de cobrar do poder público, ações efetivas que possam solucionar os problemas denunciados nos Conselhos Tutelares, a vereadora Cristiane Lopes (PP), que é presidente da Comissão Permanente dos Direitos da Criança, do Adolescente e da Juventude, participou da reunião entre a Comissão Permanente, os conselheiros tutelares e representantes da Secretaria Municipal de Educação. Estiveram presentes os promotores do Ministério Público, Marcelo Oliveira, da Educação e Marcos Valério Tessila, da Infância e Juventude da Comarca de Porto Velho do MP/RO. “Nosso papel, através da Comissão Permanente dos Direitos da Criança, do Adolescente e da Juventude é provocar os responsáveis para que solucionem o mais rápido possível esses problemas que em sua maioria estão ligados à educação e assistência social”, enfatizou a parlamentar.

Na oportunidade, o representante da SEMED, Osmair Oliveira, esclareceu que o processo de licitação do transporte escolar rural já está em andamento e que as empresas já estão se apresentando. “Hoje a comissão responsável pela licitação, irá abrir os envelopes com a documentação para saber quais as empresas estão habilitadas para participar do processo”, explicou Oliveira.

De acordo com o Promotor de Justiça, Marcos Valério Tessila, a Capital tem uma verba no valor de R$ 11 milhões de reais destinados à Assistência Social, que estão bloqueados, por falta de gestão, projetos e investimentos em programas e ações sociais. “Porto Velho tem R$ 11 milhões da Assistência Social que estão bloqueados. Existem vários programas que estão parados por falta de investimento. Temos que saber realmente o que está acontecendo para que esse dinheiro seja utilizado”, declarou Tessila.

Após a reunião, a Comissão Permanente dos Direitos da Criança, do Adolescente e da Juventude da Câmara Municipal irá produzir um relatório geral que será entregue nas secretarias responsáveis pelas demandas ou se necessário nas instâncias superiores, “Estamos vendo uma dificuldade muito grande por parte das secretarias responsáveis para solucionarem os problemas. Se continuar dessa forma, vamos precisar acionar as instâncias superiores como: o próprio Ministério Público ou ainda o Tribunal de Contas”, finalizou Cristiane Lopes.

Fonte: 010 - Assessoria

Noticias relacionadas

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias