Quinta-Feira, 06 de Julho de 2017 - 13:16 (Direito do Consumidor)

L
LIVRE

CONSUMIDOR PODE RESOLVER PROBLEMAS SEM SAIR DE CASA

A ferramenta é uma alternativa para resolver problemas, porém, quando não há um acordo, o consumidor deve procurar o Procon


Imprimir página

Com o avanço da tecnologia e as facilidades oferecidas, muitas pessoas optam pela comodidade de fazer compras sem sair de casa, escolhendo via online o produto, a quantidade e a forma de pagamento. Mas se comprar ficou mais fácil, por outro lado cresce o número de reclamações dos consumidores que se sentem lesados.

Para orientar, educar, proteger e defender os direitos dos consumidores contra os abusos praticados por fornecedores de bens e serviços, seja na transação online ou física, existe o Procon, órgão do Poder Executivo subordinado à Secretaria de Estado de Assistência e Desenvolvimento Social (Seas).

Mas o que muitos consumidores não sabem, é que também podem resolver seus problemas sem sair de casa por meio da plataforma consumidor.gov.br, monitorada pela Secretaria Nacional do Consumidor (Senacon) do Ministério da Justiça, Procons e Defensorias, que permite uma comunicação direta com as empresas participantes.

As empresas se comprometem a receber, analisar e responder o requerimento dentro do prazo de 10 dias. Em seguida, o consumidor tem até 20 dias para avaliar e classificar a demanda como resolvida ou não resolvida. “Essa é uma alternativa para solucionar conflitos de consumo de forma amigável, diretamente com a empresa. Porém, quando não há um acordo, o consumidor pode contar com o Procon”, explicou o coordenador do Procon em Rondônia, Rui Costa.

Com mais de 380 empresas cadastradas, no sistema, o Portal Consumidor apresenta uma taxa de resposta de 99,7%, com índice de solução de 80% e prazo médio de resposta de sete dias. “Entre os participantes estão empresas dos segmentos, como telecomunicações, bancos, aviação civil, comércio eletrônico, varejo e indústrias. Esses segmentos lideram as demandas de reclamações”, citou.

A região Norte possui 3,6% das reclamações. Os consumidores rondonienses já registraram mais de duas mil reclamações online. O maior índice de utilização da plataforma está na região Sudeste, com 48,2% dos registros.

 

Cristiane Cruz

Fonte: secom/gov-ro

Noticias relacionadas

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias