Sexta-Feira, 23 de Dezembro de 2016 - 14:21 (Colaboradores)

L
LIVRE

CONHECIMENTO SEQUENCIADOR [SÉRIE – CDXXIX] – Por Max Diniz Cruzeiro

O Conhecimento Sequenciador é aquele de atribuição lógica que permite indexar elementos segundo uma forma transitiva que as informações alocadas devam ser percebidas.


Imprimir página

O Conhecimento Sequenciador é aquele de atribuição lógica que permite indexar elementos segundo uma forma transitiva que as informações alocadas devam ser percebidas.Sequenciar informações exige uma estrutura de ordenamento que permita atribuir um sentido lógico na forma de um arranjo que possibilita visualizar as informações como partes que integram uma mensagem.

A lógica pode ser construída de acordo com uma identidade que substancie componentes de diferenciação da tomada de decisão.

Fatores encadeados podem ser lançados a fim de que construções diferentes, seguam um modelo de pensamento em que vários padrões estabelecidos possam permutar lógicas distintas.

Quanto mais forte for a permuta de lógicas distintas, mas complexo é o encaixe dos pensamentos, exigindo por parte do pensador que ele amplie a sua capacidade de coesão.

Sequenciar privilegia a construção de uma ação, sinal que os órgãos controladores da estrutura psíquica necessitam desta instrumentação para o gerenciamento dos impulsos efetores que serão encaminhados para as alocações musculares que irão converter no movimento desejado.

 Esse sequenciar é um coordenar o envio em série de informações instrumentalizadas, no qual a relação de um objeto com outro deve estar ajustada para compor a saída mais refinada para uma transposição do interno para o plano externo.

Falhas no processo de deslocamento de um código podem ser fatais para a compreensão, por decodificação, da mensagem.

Quando a mensagem falha em sua transmissão, se o estímulo ainda estiver operante, o movimento pode ser repetido a partir da compreensão dos fatores que conduziram a percepção do erro na transcrição do movimento.

Mecanismos auxiliares são capazes de sintetizar instruções que permitam a correção dos erros em estruturas lógicas e indexar os fatores que foram evidenciados do mecanismo de correção, para que o indivíduo possa criar uma memória para aperfeiçoar o movimento desejado.

Os elementos sequenciados são objetos puros que possuem uma identidade definida e um propósito certo ao qual fora gerado.

Então cada objeto não pode ser percebido em duplicação, uma vez que o movimento seria percebido de forma a produzir efeitos fantasmas, o que daria a impressão de falta de comando no ato de gerar o movimento.

Outro fato relevante, é que a frequência que os objetos são lançados em uma rede deve estar focada dentro da necessidade do próprio movimento. Caso contrário o distensionamento de certos músculos terá critérios de parada não proporcionais à necessidade do movimento.

As instruções por meio dos objetos sofrem processos de adensamento, no qual é possível condensar alguns núcleos como instruções de processamento que canalizam movimentos específicos.

Os movimentos específicos são indexáveis de acordo com o planejamento de uma ação.

De forma que um movimento sequenciado programado quando é desencadeado os fatores corretivos que partem do sistema volitivo desse indivíduo permitem identificar auxiliarmente a necessidade de correções, fazendo que os movimentos seguintes possam balancear e contrabalancear as novas implementações motoras ou psíquicas.

Essa reformulação consciente da coisa, é uma administração que exige grau de ocupação por parte de quem manobra a ação, para permitir que ela se concentre dentro da formação do arranjo-resposta dentro do limite aceitável como resposta para a correspondência da demanda, pelo movimento.

Pode-se perceber as instruções em estruturas de módulos, onde cada módulo representa a composição de fatores que dão descarga há um movimento completo. Que pode ser um toque, por exemplo, com o indicador em uma tecla específica do teclado. Ou um hábito de capturar sequências de letras em uma palavra para formar a identificação dela ao integrá-la como um conceito onde os seus atributos passam a ser encapsulados projetivamente.

As mínimas coisas são necessárias serem organizadas de forma sequencial. V-o-c-ê é c-a-p-a-z d-e o-r-g-a-n-i-z-a-r u-m-a i-n-f-o-r-m-a-ç-ã-o q-u-a-n-d-o v-o-c-ê s-e p-r-o-g-r-a-m-a f-u-n-d-i-r u-m c-o-n-t-e-ú-d-o p-o-r i-n-t-e-g-ra-ç-ã-o e-m s-u-a m-e-n-t-e.

Como pode ser demonstrado no exemplo acima é uma tarefa que você executa a todo o instante, e que já se tornou uma práxis dentro da construção da subjetividade.

A habilidade de perceber sequenciamos para serem fundidos e percebidos de forma integrada que reflita o movimento desejado faz parte do quão disposto está um indivíduo em praticar os movimentos fazendo com que sua experiência fique mais elaborada.

Recursos distintos podem ser utilizados para que você atinja o seu objetivo de se comunicar externamente. O sequenciamento é de vital importância ser assimilado, uma vez que ele é uma componente procedural que se caminha inconscientemente, que as informações fracionadas podem ser reparadas toda vez que um indivíduo consegue acessar esse inconsciente a fim de efetuar a sua coresão, perdão, c-o-r-r-e-ç-ã-o. Assim, a visualização das informações segmentadas permite corrigir aquilo que fora construído de forma equivocada para dar verdadeira dimensão consciente para o que trafega: CORREÇÃO.

Fonte: 010 - Max Diniz Cruzeiro

Noticias relacionadas

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias