Quarta-Feira, 14 de Fevereiro de 2018 - 12:54 (Colaboradores)

L
LIVRE

CONCEITOS FUNDAMENTAIS DE NEUROCIÊNCIAS: SONS FRACOS, SONS FORTES E A MEDIDA DO VOLUME

A informação que traz o código que contém o som incidente através das fibras no nervo auditivo que conduzem o dado para o sistema nervoso central é feita a partir de neurônios de segunda ordem.


Imprimir página

Se um espectro sonoro for desencadeado com intensidades variadas em sequência aleatória e for solicitado ao ouvinte que ele forneça uma nota de 0 a 100 provavelmente a escala subjetiva de volume irá coincidir com o volume do alto-falante.

A entrada de um som no ouvido externo gera uma vibração da membrana timpânica proporcionalmente. Em outras palavras, o som intenso está associado com a vibração intensa.  A vibração do tímpano movimenta os ossículos amplificando proporcionalmente à amplitude da onda sonora incidente.

No estribo a vibração parte da janela oval, deslocando uma onda através da perilinfa da escada vestibular. A membrana basilar se move a partir das vibrações da perilinfa e a deflexão dos estereocílios dos receptores, fornecendo um potencial receptor oscilatório, obedecendo aos critérios de proporcionalidade de onda sonora incidente. Também aqui a relação de proporcionalidade da onda deflete sobre os esteriocílios dos receptores.

Sobre o sistema auditivo, diante de toda a cadeia de complexos submecanismos, a lei da proporcionalidade é válida dentro de todo o sinal bioelétrico e seus desdobramentos até o córtex cerebral.

O recrutamento de receptores é proporcional à intensidade do som. Lent explica que vibrações muito fracas da membrana basilar ativam poucas células ciliadas, se a tendência de ativação é crescente, ocorrerá a ativação de maior área da estrutura da membrana basilar.

A informação que traz o código que contém o som incidente através das fibras no nervo auditivo que conduzem o dado para o sistema nervoso central é feita a partir de neurônios de segunda ordem.

A intensidade com que o som se projeta através dos receptores é uma componente fundamental para explicar vários processos que se encontram internamente dentro do sistema auditivo.

Observou-se através de experimentos laboratoriais que a relação de proporcionalidade existe para as frequências de potencial de ação e a amplitude dos potenciais de repouso das células esteriociliadas.

O caminho dos estágios sinápticos até o córtex através dos nervos mantém uma proporcionalidade entre a intensidade sonora e a frequência de potenciais de ação. Quanto mais fibras forem recrutadas o fator de proporcionalidade estabelece uma maior probabilidade de elevação do volume de um som.

Quando um som ambiente está além da capacidade do contexto ambiental pode-se gerar uma sensação de desagradabilidade e se ultrapassado o limite de 130 dB pode até manifestar em um indivíduo a sensação de dor.

O reflexo de atenuação é o volume do sistema auditivo, que tem a função de regulagem timpânica e da cadeia ossicular. Uma de suas extremidades se insere no estribo, ao ossículo da janela oval, e parte do ouvido médio. A contração deste subsistema amplia a rigidez do conjunto, diminuindo a amplitude de vibração da pirilinfa das escalas vestibular e timpânica. O reflexo é condicionado à percepção de tons graves e agudos.

Fonte: 012 - Max Diniz Cruzeiro

Noticias relacionadas

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias