Sexta-Feira, 03 de Novembro de 2017 - 12:11 (Colaboradores)

L
LIVRE

CONCEITOS FUNDAMENTAIS DE NEUROCIÊNCIAS: [011] – OS CIRCUITOS NEURAIS E SEU FUNCIONAMENTO

É intrigante o funcionamento e a complexidade do sistema nervoso. Para identificar uma palavra, como, por exemplo: LIBERDADE; primeiro se ativa os circuitos visuais, na retina humana para se fazer a leitura da palavra.


Imprimir página

Os circuitos neurais são muito variáveis tanto quanto em funcionamento e estrutura. Como se sabe o sistema nervoso do ser humano tem quase 100 bilhões de neurônios, e em média cada neurônio é capaz de receber 10.000 sinapses então pela lógica se sabe que no sistema nervoso humano possa existir aproximadamente 1 quatrilhão de circuitos neurais.

É intrigante o funcionamento e a complexidade do sistema nervoso. Para identificar uma palavra, como, por exemplo: LIBERDADE; primeiro se ativa os circuitos visuais, na retina humana para se fazer a leitura da palavra.  Que encaminha as informações coletadas para o quiasma óptico, através de uma cadeia de sinapses, distribuindo para regiões de conhecimento no lobo Parietal, outras informações deslocadas para o diencéfalo onde se encontrará com o sistema límbico responsáveis pelas sensações e emoções, e outras regiões específicas do cérebro humano.

A informação será indexada a uma biblioteca com outros sinais que os registros anteriores irão lhe conferir um grau de parentesco. Aciona a região frontal do cérebro para indexar o conceito ativado na mente com algum contexto que esteja sinalizando a utilização do conceito.

Assim, sucessivamente cadeias de neurônios vão sendo ativadas a fim de que os movimentos do corpo possam projetar uma função utilidade a fim de ser administrada com o conceito que fora catalogado, onde ocorrerá um planejamento sutil, muitas vezes não percebido, do movimento, dos dedos, por exemplo, que irá ativar a reação desejada que lhe dará um sentido programado para agir em nome do movimento.

Se o conceito LIBERDADE for desconhecido a curiosidade irá levar o indivíduo para que faça uso de um dicionário, e uma quantidade considerável de circuitos neurais novamente passa a ser ativados a fim de solucionar o problema observado pelo indivíduo.

Se o indivíduo desperta como funcionalidade o registro, o acionar dos dedos poderá levar a um efeito de digitação que irá programar seu movimento enviando comandos a serem administrados na medula vertebral ativando os neurônios via axônios no par de nervos que adicionará o braço, a mão e os nervos. Os músculos são comandados pela vontade humana que irá canalizar o movimento para que o conceito possa ser registrado em um papel ou computador e você possa enfim catalogar o seu conceito assimilado.

Assim, há que se pensar que você possui bibliotecas ou catálogos de sons, imagens e movimentos armazenados como elementos mnêmicos (de memória).

Lent esclarece que existem neurônios com diferentes funções, entre elas visuais, motoras, auditivas, emocionais, de comandos musculares, de funcionamento de órgãos, memória, pensamentos e vontade.

O mais interessante é que cada subgrupo de neurônios se subespecializa em detecção e transmissão de alguma propriedade física, como reconhecimento de brilho, cor, contraste, movimento, borda dos objetos, sons graves, sons agudos, ...  Os neurônios encarregados da emoção também se subespecializam em medo, alegria, prazer, amizade, amor, tristeza, ira, ...

E novos tipos de especificidade estão sendo descobertos a partir de novos estudos e informações de pesquisas neurocientíficas.

Os estudos das funcionalidades dos neurônios são realizados por meio de descobertas científicas realizados pela elaboração de experimentos científicos, em que a característica a ser estudada é isolada para que seu efeito possa ser mapeado fisicamente em termos quantitativos, onde a descoberta é avaliada e conduzida pelo trabalho acadêmico para a transformação em artigo científico.

Lent traz como conteúdo de conhecimento que o estudo eletrofisiológico de neurônios isolados levou ao estudo de conjuntos multineuronais relacionados a funções complexas, onde se constrói uma análise do padrão de atividades do funcionamento neural a fim de catalogar a descoberta.

É um tipo de análise reducionista, onde se procura isolar a propriedade de neurônios para se determinar o seu funcionamento a partir de uma amostra de neurônios na observação de uma área específica ativa no cérebro humano. Apesar de ser limitada, grandes avanços acorrem pela utilização deste procedimento metodológico.

Então é fato que várias funções mentais são decorrentes do trabalho de populações neurais agrupadas como circuitos neurais em várias partes do cérebro. Sendo cada neurônio responsável por uma análise do estímulo, em sua função sensorial mais específica, que irá desencadear a função psíquica ou motora correspondente desejada para a correspondência ambiental.

Devido a quantidade infindável de combinação de circuitos neurais existe uma enorme variabilidade de comportamentos humanos que podem ser administrados conforme a necessidade de um indivíduo.

As complexas interconexões cerebrais das substâncias brancas permitem a compreensão do funcionamento cerebral. Os estudos geralmente são organizados em estudos de dissecação post mortem de grandes feixes, comparações com estudos de animais e a ressonância magnética (RM – imagem do tensor de difusão – DTI). Este último aproveita um sinal magnético de uma molécula de água transformando-a em imagem cerebral, reconstruindo a trajetória de fibras axonais (fascigrafia), no qual é possível encontrar várias patologias cerebrais.

Fonte: 010 - Max Diniz Cruzeiro/NewsRondonia

Noticias relacionadas

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias