COMBUSTÍVEL DE CARRO VIRA CACHAÇA PARA DEPENDENTES NA CAPITAL - News Rondônia O consumo do álcool combustível como se fosse bebida revela o problema do alcoolismo na Capital e a prática é tida como um suicídio.

Porto Velho,

Quarta-Feira , 23 de Novembro de 2016 - 18:19 - Colaboradores


 


COMBUSTÍVEL DE CARRO VIRA CACHAÇA PARA DEPENDENTES NA CAPITAL

O consumo do álcool combustível como se fosse bebida revela o problema do alcoolismo na Capital e a prática é tida como um suicídio.

ImprimirImprimir página

Ao cair da noite ou madrugadas quentes na Capital em Porto Velho, entre um veículo e outro, em quase todos os postos de combustíveis da Capital é fácil notar na correria dos atendimentos dos frentistas ao atendimento a dependentes químicos, sejam á pé ou montados em bicicletas, sozinhos ou acompanhados, sóbrios ou já drogados, às vezes já se tremendo por conta da dependência, alterados ou não de garrafa pet na mão pedem/exigem R$1,00 (um real) de álcool, não pense que seu carro ou moto acaba de ficar sem combustível até porque um real de álcool não faria nenhum automóvel se locomover.

Nossa Coluna, “Espaço Livre”, passou quase 40 dias para produzir essa matéria e a conclusão é que moradores em situação de rua, principalmente aqueles que freqüentam a região central de Porto Velho, estão recorrendo ao consumo de álcool combustível misturado com água, que custam centavos.

Essas pessoas têm como principal atrativo o preço do álcool na bomba (o litro custa em média R$3,50 em Porto Velho) e também a potência do álcool 100% puro. 

Com um litro, segundo os moradores ouvidos pela nossa Coluna, é possível preencher dezenas de pequenas garrafas de meio litro — já que fazem a mistura com água para diluir —, e assim abastecer a “rapaziada”, agrupado onde vivem geralmente entre 5 a 10 moradores de rua.

“César 21 anos, morador de rua, flanelinha, chega afoito perto da bomba de álcool, entrega uma garrafinha de água que carrega ao frentista e pede para enchê-la. Rapidamente, pega o "combustível", entrega as moedas ao frentista, vai até a mangueira, mistura o Etanol com a água e segue seu rumo, já no caminho, vira na boca o combustível, misturado a água. “Ele vem sempre aqui, todos os dias, compra para beber”, diz o funcionário de um posto de gasolina de Porto Velho.

Ali mesmo na torneira do posto de combustível ou no reservatório, água limpa ou suja, eles fazem a mistura do Álcool puro (etanol) com a água, que fica assim “menos forte para o consumo humano”.

Esta é uma triste realidade, presenciada por nossa coluna em mais de 16 postos de combustíveis na capital, durante 34 dias de Observação, onde contabilizamos mais de 28 usuários/dependentes fazendo o consumo indevido do etanol, que segundo recomendação afixada em alguns postos, É NOCIVO PARA O SER HUMANO.

O etanol presente em combustíveis, cosméticos, antissépticos não é apropriado para o consumo humano, não é alimento nem bebida, não possui boas normas de fabricação para ingestão humana. A concentração do etanol no sangue pode ser fatal. Em casos de intoxicação pode levar ao coma profundo.

“Juliano”, 48 anos, que encontramos na Jorge Teixeira, BR-364, próximo à Rodoviária relata que, sente dores terríveis que seu fígado está quase destruído. Vômitos mostravam a reação de um organismo que sinalizava para que parasse antes que fosse tarde demais. Mas ele diz que não consegue é dependente há mais de 06 anos, vive nas ruas na capital, não tem dinheiro para beber em bares “tudo é muito caro, o que ganho de moedas no sinal e olhando carros é o que tenho de apurado”, e que tudo é gasto com o Etanol para seu consumo e de seus colegas de noites solitárias nas ruas da capital, longe de sua família, que deixou no Paraná, em busca de vida nova em Rondônia, disse.

Dois Médicos ouvidos por nossa Coluna, porém, alertam para a combinação considerada “explosiva” da ingestão de álcool 100% puro, principalmente para pessoas com a saúde já debilitada em decorrência da situação vulnerável em que vivem.

A concentração de etanol no sangue pode ser fatal, ou então, dependendo do grau de intoxicação, pode levar ao coma profundo, e se o consumo for freqüente, mata o indivíduo nessas condições em questão de meses.

O etanol é um depressor do sistema nervoso central. Ele causa alterações comportamentais, como agressividade, sentimento de culpa, psicose, depressão, etc. As alterações ocorrem em vários órgãos e sistemas e podem causar danos hormonais, nutricionais, cardiovasculares e os problemas atingirem ainda o fígado, pâncreas, e estômago.

No homem, o etanol causa impotência sexual, atrofia testicular, diminuição da produção de espermatozóides. Além de prejudicar a fala e causar deterioração mental crônica. Em gestantes, a destruição atinge diretamente o feto. Ela atravessa a barreira placentária e provoca síndrome alcoólica fetal, anomalias faciais e retardo mental no bebê.

O Ministério da Saúde tem por todo o País os Caps (Centros de Apoio Psicossocial), locais que dão apoio psicológico, mas para o alcoólatra receber atendimento é preciso frequentar o Caps e ter o mínimo de estrutura financeira para seguir o tratamento em casa.

ATENÇÃO ÓRGÃOS PÚBLICOS

Aproveitamos Este espaço, para chamar a atenção dos órgãos competentes para que fiscalizem essa prática tão comum e que as vezes passa despercebida aos olhos de muitos, este é um bom momento para buscar informações mais aprofundadas sobre os efeitos que o álcool combustível traz ao organismo desses indivíduos.

É hora de abordar essas pessoas da mesma maneira que aborda a todos alcoólicos. Não existe uma recorrência (de pessoas que ingerem etanol), mas como cresce cada vez mais o número de moradores de rua dependentes de Drogas, talvez seja uma boa opção para pesquisar sobre o assunto.

À Prefeitura de Porto Velho e ao Governo do Estado, deixamos uma sugestão que iniciem urgentemente um trabalho de prevenção itinerante na região central da Capital, precisamente perto do terminal [rodoviário], onde nossa coluna detectou diversos moradores de rua fazendo o consumo do Etanol. Usem panfletos, tentando orientar para que não usem o álcool combustível.

ALERTA

Nossa Coluna “Espaço Livre” quer também por meio desta matéria chamar a atenção do Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo no Estado de Rondônia e o Sindicato dos Trabalhadores no Comércio de Minérios e Derivados de Petróleo no Estado de Rondônia que tome as devidas Providências, sobre a venda de combustível para moradores em situação de rua, e que distribuiria circulares, para serem afixadas nos postos associados em Porto Velho e em mais 51 municípios de nosso Estado, reforçando as regras impostas pela a ANP, através da resolução n° 41/13, em vigor desde novembro de 2013.Sugerimos também que façam um trabalho educativo e orientar os frentistas dos Postos de Combustíveis, para que em nenhuma hipótese vendam o álcool aos moradores de rua.

De acordo com a norma, o combustível automotivo deve ser comercializado em vasilhames que tenham sido fabricados para este fim e devidamente certificados pelo Inmetro.

"Droga lícita"

O etanol presente em bebidas alcoólicas é uma droga de abuso lícita, permitida na legislação brasileira. É a droga mais utilizada no Brasil e isso pode ser exemplificado pelo volume publicitário que embala milhões no País. Em combustíveis: no Brasil a gasolina pode ser misturada de 20% a 25% de etanol anidro, com menos de 1% de água. Já o álcool combustível tem 100% de etanol puro, com até 4,95% de água. 

Em bebidas alcoólicas a porcentagem de etanol tem as seguintes variações: 

Cerveja: 4-6% 

Vinho: 10 - 20% 

Tequila: 40 a 47 % 

Vodka: 40 - 50% 

Cachaça e uísque: 40-50% 

Os CAPs - Centros de Atenção Psicossocial - Foram criados para ressocialização de usuários do sistema de saúde mental, os serviços são oferecidos aos hospitais públicos e hospitais conveniados ao SUS. Oferecem consultas, medicamentos e atendimento com profissionais como Psicólogo, psiquiatra e assistente social.

O município de Porto Velho tem 3 desses Centros de apoio (CAPs):

CAPS Madeira Mamoré situado à Avenida Elias Gorayeb. CEP: 76804-158 - Porto Velho – RO. O Telefone para contato é: (69) 3216-7333;

CAPS Três Marias que fica na Rua Equador, 2212, bairro: Nova Porto Velho. CEP: 78900-000 - Porto Velho – RO Tel: (69) 3901-2815 Email: saudementalpvh@bol.com.br.

CAPS AD - Avenida Lauro Sodré, número 1.964, bairro Liberdade, em Porto Velho, e está aberto às pessoas interessadas das 7h às 19h.

Importante anotar:

Endereços e telefones dos CAPs no Estado de Rondônia:

Alta Floresta do Oeste

CAPS Alta Floresta do Oeste

Av. JK, 4658 - Redondo

CEP: 78994-000 - Alta Floresta do Oeste - RO

Tel: (69) 3641-2790 / 3505

Ariquemes

CAPS Vida Ariquemes

Rua das Papoulas, 2325, Setor 04

CEP: 76873-512 - Ariquemes - RO

Tel: (69) 3536-3501 / 2337 (fax)

Cacoal

CAPS Cacoal

Rua Afonso Pena, 2274 - Princesa Izabel

CEP: 78977-025 - Cacoal - RO

Tel: (69) 3907-4197 

Guajará-Mirim

CAPS Nossa Casa

Av. Duque de Caxias, 1455

Guajará-Mirim - RO

Tel: (69) 3913-1542

JI-Paraná

CAPS Raio de Luz

Rua Porto Velho, 2323 - Dom Bosco

CEP: 78961-970 - JI-Paraná - RO

Tel: (69) 3421-4415

Machadinho D'Oeste

CAPS Machadinho D'Oeste

Av. Getúlio Vargas, 4679 - Bom Futuro

CEP: 78948-000 - Machadinho D'Oeste

Tel: (69) 3581-3047

Nova Mamoré

CAPS Esperança

Av. João Climaco

CEP: 76857-000 - Machadinho D'Oeste

Tel: (69) 3544-3150

Porto velho

CAPS Três Marias

Rua Equador, 2212 - Nova Porto Velho

CEP: 78900-000 - Porto Velho - RO

Tel: (69) 3901-2815

saudementalpvh@bol.com.br

Porto Velho

CAPS Madeira Mamoré

Av. Elias Gorayeb

CEP: 76804-158 - Porto Velho - RO

Tel: (69) 3216-7333

Presidente Médici

CAPS Bem Viver

Rua 7 de Setembro, s/ nº - Centro

CEP: 78968-000 - Presidente Médici - RO

Tel: (69) 3471-2354 

Rolim de Moura

CAPS Rolim de Moura

Av. Florianópolis, 5580 - Centro

CEP: 78987-000 - Rolim de Moura - RO

Tel: (69) 3442-9178

Vilhena

CAPS Vilhena

Rua Porto Velho, 178 - 5º BEC

CEP: 78995-000 - Vilhena - RO

Tel: (69) 3322-4216

Por Zecca Paim - Jornalista
MTB 1453|RO

NOTICIAS RELACIONADAS

Fonte: NewsRondônia

Comentários do Facebook

Veja Também

Publicidade

  • Http://www.Auto-doc.pt