Quarta-Feira, 15 de Janeiro de 2014 - 09:57 (Colaboradores)

CENTRAIS DISPOSTAS A DERROTAR DIREITA NAS ELEIÇÕES GERAIS BRASILEIRAS

De acordo com o estudo, as indicações surgiram desde que o movimento sindical rondoniense passou a não ter acesso aos mandatários para sentar à mesma mesa durante as negociações das pautas reivindicatórias de suas categorias. Muito menos na defesa e manutenção de direitos previstos nos acordos coletivos.


Imprimir página

Humaitá, Sul do Amazonas – Em oposição ao cassolismo e ao confucionismo, que repercutem até hoje, negativamente, na vida dos rondonienses e das Centrais de Trabalhadores, é que vários sindicalistas do vizinho Estado decidiram concorrer, com candidaturas próprias, nas três esferas do Parlamento brasileiro.

De acordo com o estudo, as indicações surgiram desde que o movimento sindical rondoniense passou a não ter acesso aos mandatários para sentar à mesma mesa durante as negociações das pautas reivindicatórias de suas categorias. Muito menos na defesa e manutenção de direitos previstos nos acordos coletivos.

- Essa oposição aos mandatários dominantes, não se trata de dissidentes de direita ou de esquerda, esclarece uma fonte ligada ao Partido dos Trabalhadores [PT] local. Segundo disse, ‘tudo teve início quando Cassol ameaçou quebrar o SINTERO e Confúcio de ter prometido isolar o movimento sindical rondoniense das decisões políticas no Governo dele’.

Também engrossa a lista de pré-candidatos saídos do movimento sindical no vizinho Estado, o vereador Márcio do SINTETUPERON [PSB] e do presidente do STICCERO, Raimundo TOCO [PT], que devem disputar uma vaga à Assembléia Legislativa nas eleições deste ano.

Figuram ainda nomes como o do presidente do Sindicato dos Agentes Penitenciários de Rondônia [SINGEPERON], sindicalista Anderson Pereira, que durante quase metade de uma década liderou um movimento de intensa mobilização de sua categoria em busca de reparações tiradas pelos governos Cassol e Confúcio Moura.

Para sindicalistas para mais à esquerda dos grupos de mando de Ivo Cassol, Confúcio Moura e Mauro Nazif, ‘os escândalos que maculam a imagem da banda boa da política de lá, com reflexos negativos no Parlamento, do Judiciário e das instituições democráticas, abriu as portas da política para sindicalistas e lideranças comunitárias rondonienses’.

Para eles, ‘o dinheiro das elites não é tudo nos dias de eleições no Brasil, quem decide é o povo’, afirmam.

Em linhas gerais, a oposição de esquerda rondoniense, segundo novos estudos, ‘dão conta de que até os garimpeiros ajudaram a eleger Jerônimo Garcia de Santana [PMDB’.

 - Por que não tentarem eleger sindicalistas à Assembléia Legislativa e ao Congresso em vez dos tradicionais fichas-sujas?’, indagaram, ao se reportarem também à eleição de Francisco Erse [Chiquilito], eleito pela maioria dos servidores públicos prefeito de Porto Velho.

 

Com exceção da CTB, cujo expoente é o combativo Professor Pantera [PCdoB], a maioria dos pré-candidatos sairão das hostes do PT, PROS, Partido Solidariedade [SDD], PCdoB, PSOL, PCB [O Partidão], PEN, DEM, PSD,  PHS, PSL, PPL, PDT, PSDB e outros com vínculos iniciais dentro do movimento sindical a partir das centrais Nova Central, UGT, Federação dos Trabalhadores na Agricultura [FETAGRO] e movimentos populares insurgentes.

XICO NERY é Produtor Executivo de Rádio, Jornal, TV, Repórter Fotográfico e CONTATO de Agências de Notícias nas Amazônias, Países Andinos e Bolivarianos.

Fonte: XICO NERY

Noticias relacionadas

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias

Http://www.Auto-doc.pt