Domingo, 11 de Fevereiro de 2018 - 23:59 (Colaboradores)

L
LIVRE

CARTAS DA JU – DIA MUNDIAL DO ENFERMO

No primeiro trecho da fala de Francisco, é fácil para qualquer um de nós observar a mercantilização da saúde – os planos cada vez mais caros, com valores abusivos que só poucos podem obter e no segundo, grande é a nobreza dessas pessoas que cuidam dos doentes crônicos, de suas famílias ou não, com infinita paciência e amor.


Imprimir página

Querida pessoa, lendo o texto onde o Papa Francisco concede a Bênção Apostólica a todos os doentes, agentes de saúde e voluntários, especialmente pra esse dia mundial do enfermo, 11 de fevereiro, destaco dois trechos:

1 – “...preservar os hospitais católicos do risco duma mentalidade empresarial, que em todo o mundo quer colocar o tratamento da saúde no contexto do mercado, acabando por descartar os pobres. Ao contrário, a inteligência organizativa e a caridade exigem que a pessoa do doente seja respeitada na sua dignidade e sempre colocada no centro do processo de tratamento. Estas orientações devem ser assumidas também pelos cristãos que trabalham nas estruturas públicas, onde são chamados a dar, através do seu serviço, bom testemunho do Evangelho.”

2 – “Não podemos esquecer aqui a ternura e a perseverança com que muitas famílias acompanham os seus filhos, pais e parentes, doentes crônicos ou gravemente incapacitados. fOs cuidados prestados em família são um testemunho extraordinário de amor pela pessoa humana e devem ser apoiados com o reconhecimento devido e políticas adequadas. Portanto, médicos e enfermeiros, sacerdotes, consagrados e voluntários, familiares e todos aqueles que se empenham no cuidado dos doentes, participam nesta missão eclesial. É uma responsabilidade compartilhada, que enriquece o valor do serviço diário de cada um.”

No primeiro trecho da fala de Francisco, é fácil para qualquer um de nós observar  a mercantilização da saúde – os planos cada vez mais caros, com valores abusivos que só poucos podem obter e no segundo, grande é a nobreza dessas pessoas que cuidam dos doentes crônicos, de suas famílias ou não, com infinita paciência e amor.

Ser/estar doente é um dos piores estados em que podemos ficar. Somos feitos para exercer nosso pensamento, atitudes e dons de forma integral, saudável. Às vezes ficamos doentes por conta do mundo, com suas viroses cada dia mais numerosas e difíceis de combater, outras vezes somos causadores de nossos próprios males, quando agimos de forma incoerente com nosso corpo (e mente também, logicamente), através de alimentação inadequada, bebidas, drogas e até medicamentos em excesso, além da falta de exercício físico.

Todo mundo já ficou doente alguma vez na vida e sabe o que é ficar sem ânimo, sem energia, sem vontade de comer, mesmo as coisas mais gostosas e muitos já passaram, e passam por dores físicas terríveis. É bom parar uns minutos e refletir sobre esse tema. Melhor ainda é tomar a decisão de mudar, quando ainda se pode fazer isso.

A todos os doentes, temporários ou crônicos, minhas preces, meu carinho e o pedido da intercessão de Nossa Senhora de Lourdes cuja memória celebramos nesta data.

Fonte: Ju Lauriano - NewsRondônia

Noticias relacionadas

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias