Quarta-Feira, 13 de Abril de 2016 - 15:44 (Dica de Leitura)

L
LIVRE

CARDIOLOGISTA DO HCOR ALERTA: ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL REDUZ RISCO DE DOENÇAS CARDÍACAS EM ATÉ 80%

Uma alimentação equilibrada e saudável pode ajudar em dois grandes problemas que podem levar às doenças do coração: o colesterol alto e a hipertensão.


Imprimir página

Em todo o mundo, estima-se que as doenças cardiovasculares (DCV) representam a primeira causa de morte. Uma verdadeira epidemia cardiovascular vem sendo gradativamente instalada nos países em desenvolvimento, incluindo o Brasil. Uma das melhores formas de evitar o aumento dessas doenças é por meio da prevenção, incluindo o hábito da alimentação saudável.

De acordo com o cardiologista e clínico geral do HCor, Dr. Abrão Cury, uma alimentação equilibrada e saudável pode ajudar em dois grandes problemas que podem levar às doenças do coração: o colesterol alto e a hipertensão. “O controle da ingestão de gordura é essencial para manter adequados os níveis de colesterol sanguíneo. E, por isso, o consumo de alimentos de origem animal deve ser diminuído, em especial, no consumo de carnes gordurosas como costela, cupim, picanha, maminha e pernil”, esclarece Dr. Cury, do HCor.

A gordura trans também é prejudicial, pois tem como característica aumentar o colesterol ruim e diminuir o colesterol bom no sangue.  A principal fonte na dieta é a gordura vegetal hidrogenada, utilizada no preparo de sorvetes cremosos, chocolates, pães recheados, molhos para salada, sobremesas cremosas, biscoitos recheados, alimentos com consistência crocante (nuggets, croissants, tortas), bolos industrializados, margarinas duras e alguns alimentos produzidos em redes de “fast-foods.

Porém existem alguns alimentos que possuem gorduras que exercem um papel contrário, agindo na redução dos níveis de colesterol e dos triglicérides, entre elas se destacam os ácidos graxos poliinsaturados (ômega-3) encontrados em óleo vegetais como soja, canola e linhaça, e em peixes de águas frias (sardinha, salmão, etc). “Neste grupo de gorduras saudáveis também temos os ácidos graxos poliinsaturados (ômega-6) que estão nos óleos vegetais de soja, milho e girassol. Entretanto estes alimentos devem ser consumidos com moderação, devido ao alto valor calórico”, explica Juliana Dantas, nutricionista do HCor.

Segundo a nutricionista do HCor, as fibras também atuam na redução do colesterol sanguíneo. Existem dois tipos de fibras: as solúveis, representadas pelas frutas, aveia, cevada e leguminosas presentes no feijão, grão de bico, lentilha e ervilha, e as insolúveis, representadas pelo trigo, grãos e hortaliças. “As fibras insolúveis não atuam sobre o colesterol sanguíneo, mas aumentam a saciedade e auxiliam na redução da ingestão calórica e consequentemente do peso corporal”, pondera Juliana Dantas.

   Para o cardiologista do HCor, o controle do sódio na dieta também é muito importante, por isso alguns cuidados devem ser tomados para evitar o aumento da pressão arterial. É importante evitar a adição de sal aos alimentos, usar temperos naturais como ervas aromáticas, alho e cebola, evitar molhos e caldos prontos, bem como os produtos industrializados, enlatados, congelados e embutidos. “O consumo do álcool também deve ser evitado, pois ele tem efeito sobre os triglicérides sanguíneos e sobre a pressão arterial, sendo prejudicial à saúde do coração”, esclarece Dr. Abrão Cury.

Cardiologista e Nutricionista do HCor listam os alimentos “amigos do coração” e os “vilões do coração”:

Alimentos “Amigos do Coração”:

Chocolate: o chocolate amargo, em pequenas quantidades, pode reduzir o risco de um ataque cardíaco por diminuir a tendência de coagulação das plaquetas, processo responsável por obstruir os vasos sanguíneos. Os flavonóides presentes no chocolate são capazes de reduzir o colesterol ruim (LDL) e podem impedir a arteriosclerose, processo degenerativo que provoca a obstrução progressiva das artérias;

Alho: o alimento impede que o colesterol grude nas paredes das artérias. O ideal é consumir até três dentes crus por dia;

Cebola: assim como o chocolate, a cebola diminui a formação de placas de gordura que causam a obstrução dos vasos sanguíneos. O resultado desse entupimento é a arteriosclerose, processo de endurecimento das artérias, capaz de levar ao infarto. A quantidade recomendada é de meia cebola crua por dia;

Peixes: o ideal é o consumo de peixes grelhados ou assados, de preferência acompanhados de molhos leves, arroz, purês, etc. O ômega 3, presente nos peixes, atende dois requisitos fundamentais para o coração bater a todo vapor: aumenta o HDL, o colesterol bom, e reduz o ruim, o LDL;

Laranja, morango, kiwi e goiaba: esse time de frutas possui um ingrediente essencial ao coração: vitamina C, um poderoso antioxidante que também reforça a parede das artérias, por combater a formação das malfadadas placas de gordura;

Abacate: assim como o azeite de oliva, esta fruta é rica em gordura monoinsaturada, que ajuda a aumentar os níveis do colesterol bom, o HDL, e despachar o colesterol ruim do sangue;

Tomate: rico em licopeno, ele tem propriedades antioxidantes capazes de livrar as artérias do colesterol inimigo (LDL);

Feijão, banana e couve: o segredo desses alimentos está em serem boas fontes de vitaminas do complexo B. Elas auxiliam no controle das taxas de homocisteína no sangue, um aminoácido tão relacionado aos problemas cardíacos que pode indicar tendências ao infarto;

Fibras: presentes na aveia, feijão, cereais, maçã, goiaba e cenoura, as fibras solúveis facilitam a remoção do colesterol ruim (LDL) do corpo.

Os vilões do coração:

Gorduras: as gorduras saturadas facilitam o aumento dos níveis de colesterol ruim (LDL) no sangue e estão presentes na manteiga, no óleo de coco e na banha. Já os ácidos graxos trans, também relacionados a doenças cardiovasculares, aparecem em alimentos de origem vegetal, como as margarinas;

Açúcar: o excesso de açúcar na circulação ameaça o equilíbrio dos componentes sanguíneos, além de ferir a camada interna dos vasos, elevando o perigo de depósitos de gorduras nos canais de circulação;

Sal: seis gramas é a dose máxima recomendada de consumo diário de sal. Acima disso há riscos para o coração, sobretudo de hipertensão arterial. Nos hipertensos, a pressão alta causa lesões nas paredes dos vasos;

Álcool: o consumo do álcool em excesso também pode obstruir nossas artérias. A bebida aumenta os níveis de triglicérides no sangue e, assim, cresce o perigo desta gordura entupir os vasos sanguíneos, junto a moléculas de colesterol e provocar um ataque cardíaco.

Fonte: Rita Nogueira

Noticias relacionadas

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias