Domingo, 31 de Maio de 2015 - 12:42 (Colaboradores)

CAMINHÕES DE CARGA PESADA AINDA CIRCULAM À NOITE NAS RODOVIAS DE ACESSO À CAPITAL PORTO VELHO

Ao menos um ou dois veículos de porte pequeno ou médio são abalroados e vice e versa são lançados fora da pista provocando acidentes de cenas indescritíveis com inúmeras vítimas fatais.


Imprimir página

Porto Velho, RONDÔNIA – Não é de hoje que o transporte de carga pesada, através de veículos longos, causa fatalidades imensuráveis nas rodovias de acesso a esta Capital, sobretudo envolta na macrorregião região de Ariquemes e parte da malha de acesso a Itapuã do Oeste e Candeias do Jamari.   

Uma das causas apontadas para os acidentes rotineiros que ocorrem na Rodovia 364, de Vilhena a Porto Velho, ‘é o não cumprimento da legislação que proíbe a circulação de carretas no período noturno’, diz o advogado José Ricardo Costa, ex-jurídico da Central dos Trabalhadores ‘Força Estadual’.

- Apesar das restrições em vigor, ele falou.

Segundo ele, ‘a 364 há anos é conhecida como a Rodovia da Morte, mas até agora não se tem notícia de que as carretas ou veículos longos estejam sendo contidas a não se envolverem em acidentes fatais’.

Já a acadêmica de Serviço Social, Francisca Souza, 52, grandes caminhões transportando soja e outros cereais insistem em circular à noite e mesmo dentro do horário estabelecido pelo Departamento de Polícia Rodoviária Federal [DPRF]. A lei não é respeitada e o número de vítimas fatais só aumenta, afirmou.

Em linhas gerais, a circulação de veículos pesados ocorre com maior intensidade a partir das 18 horas em direção ao Porto Graneleiro construído pelo Grupo Maggi, do Mato Grosso. Mesmo com as restrições, o número de caminhões pesados transportando cereais, bovinos e produtos químicos é bem visível cruzando as barreiras da PRF, sobretudo à altura da divisa de Porto Velho com Candeias do Jamari.

Há poucos dias, uma evangélica que se deslocava de Candeias do Jamari a Ariquemes foi ‘esmagada por uma carreta à altura de um loteamento considerado clandestino’. Segundo testemunhas oculares, a mulher e o marido teriam tentado uma ultrapassagem perigosa. O fato ainda foi esclarecido, totalmente, pelas autoridades.

- Foi uma morte absurda, atestou o secretário de Agricultura de Candeias do Jamari, José Ribamar Reis, que passava pelo local segundos antes do sinistro que ceifou a vida do casal.

De acordo com o advogado José Ricardo Costa, ‘os acidentes não deixarão de ocorrer’. Porém, as autoridades precisam conter a violência nas rodovias [estaduais e federais] o quanto antes, mesmo que a custo de milhões de reais que precisem ser investidos para se melhorar o transporte de carga pesada no Brasil.

Segundo ele, ‘sem investimento na duplicação das estradas, sinalização inteligente, fiscalização radical e educação dos condutores e pedestres, por parte da Polícia Rodoviária Federal [PRF] e Estadual, respectivamente, o trânsito não irá melhorar nem os riscos de acidentes serão contidos’.

Fonte: Xico Nery/NewsRondonia

Noticias relacionadas

Banner Ale

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias