Domingo, 14 de Janeiro de 2018 - 13:50 (Cultura)

L
LIVRE

CAIARI: A DECADÊNCIA DOS BLOCOS DO BAIRRO CONSIDERADO CAPITAL DO CARNAVAL

O primeiro bloco a sair do carnaval de rua, foi o do Clube Ypiranga em virtude da ascensão das escolas de samba.


Imprimir página

Bloco do Clube Ypiranga, Escola de samba Pobres do Caiari, Bloco do Alho, Bloco 812, Oxerevause, Mocidade do Caiari, Bloco Rio Caiari e Galo da Meia Noite. Todos nasceram e morreram no bairro Caiari.

Juntos com os ainda em atividades Pirarucu do Madeira, Cagalho, Murupi, Axé Folia e a Banda do Vai Quem Quer, transformaram o bairro no maior reduto de entidades carnavalescas da Amazônia.

Quando chegava o período carnavalesco, parte da população da capital de Rondônia se encaminhava para o bairro Caiari, pois tinha certeza, que ali encontraria diversão em todas as esquinas.

O primeiro bloco a sair do carnaval de rua, foi o do Clube Ypiranga em virtude da ascensão das escolas de samba.

O 812 que surgiu no Bar da Dona Maria do Pirralho e tinha como incentivadores integrantes das famílias Mercês e Pinheiro (Lucini e Canduri) mais o Zé Carlos Lobo. Não agüentou cinco carnavais.

Com a saída dos filhos dos categas do bairro, em virtude de seus casamentos, o bloco Oxerevause também deixou de se apresentar.

A Mocidade do Caiari surge como bloco e se transforma em escola de samba do grupo de acesso. Parou para não prejudicar a Pobres do Caiari, pois, se subisse mais um degrau, desfilaria pelo grupo especial e como noventa por cento dos seus integrantes, também desfilavam pela Pobres do Caiari e Diplomatas resolveram parar para não prejudicar as duas granes. Tinha a melhor Bateria da cidade.

O Bloco do Alho que nasceu de uma dissidência dentro do Galo da Meia Noite, foi considerado um dos melhores e maiores de Porto Velho. Seus ensaios aconteciam na Duque de Caxias entre a Presidente Dutra e a Rogério Weber e concorriam diretamente com os ensaios do Galo. Foi daí que o bairro Caiari passou a ser chamado de “A Capital do Carnaval de Porto Velho”. O Bloco do Alho parou sem dar explicação.

Bloco Rio Caiari – Foi outra dissidência do Galo da Meia Noite. Sua diretoria conseguiu junto aos Conselheiros da escola de samba Pobres do Caiari que já não desfilava, a sessão da sede para suas reuniões e ensaios, infelizmente, a diretoria do bloco, fez uma manobra tentando transferir o patrimônio da escola para o bloco o que foi descoberto e a ‘mutreta’ não foi a frente. Seus temas sempre homenageavam uma figura importante da nossa sociedade como seu Euro Tourinho, Ursa Maloney e Severino o Porteiro. Deixou de desfilar por falta de consenso entre seus diretores, uma pena.

A escola de samba Pobres do Caiari abandonou o carnaval de Porto Velho, desde quando alguns jovens, moradores do bairro, exigiram que a escola fosse dirigida por eles, resultado, a escola “morreu”, mesmo sendo a única a possuir sede própria (cuja estrutura hoje está totalmente abandonada). O último desfile da Caiari foi no ano de 2000.

O Galo da Meia Noite surgiu na garagem da residência da dona Iolanda Caula onde seu filho Edson José montou o bar “Do Sem Pescoço”, local de encontro dos antigos integrantes da “Mocidade do Caiari”.

Por sugestão da pernambucana Magda nasce o Bloco que inicialmente foi batizado como “Galo da Madrugada” e por sugestão da dona Zila passou a se chamar “Galo da Meia Noite”. Em virtude de problemas com as Finanças Municipais o bloco não vai se apresentar no carnaval de 2018.

Os blocos de hoje

No carnaval deste ano (2018), os blocos Murupi, Axé Folia, Estrondo, Pirarucu do Madeira, Cagalho e Banda do Vai Quem Quer ainda fazem parte do circuito “Caiari de Carnaval”. Porém, nenhum dos citados, realiza ensaio no bairro, apenas se concentram no dia de seus desfiles.

O Começo

Os foliões passaram a se concentrar no bairro Caiari a partir dos anos de 1960 com o surgimento da escola de samba Pobres do Caiari em 1964, cujos ensaios aconteciam em frente ao barracão onde funcionou a Garagem do Governo do Território. Hoje o espaço é a Praça das Três Caixas D’água.

Em meados dos anos 80 a Banda do Vai Quem Quer, passa a se concentrar na praça o que permanece até hoje.

No final da década de 1980 inicio dos anos 90, Carlinhos Camurça passa a realizar nas Caixas D’água o “Carnaval na Praça” sucesso absoluto.

Nessas alturas, a turma do bairro colocava o bloco Mocidade do Caiari cujos ensaios aconteciam também nas Caixas D’água. Foi da Mocidade praticamente, que surgiu o Galo da Meia Noite, pois quando a escola parou de desfilar, a turma passou a se reunir no Bar do Sem Pescoço, que, aliás, teve até um bloco de sujo “Sem Pescoço” e daí pra frente o Galo dominou a parada com seus famosos ensaios que no ano passado, foram realizados no Mercado Cultural.

A partir deste carnaval, o bairro Caiari deixará o posto de “A Capital do Carnaval de Porto Velho” título que fica em aberto. O Caiaria agora passa a ser apenas “Local de Concentração de alguns blocos de trio elétrico” e nada mais.

Enquanto isso o rio Madeira vai subindo...

...Alô seu Cabo Omar! O Galo da Meia Noite! Não vai desfilar...

Fonte: Ze Katraca/NewsRondônia

Noticias relacionadas

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias