CAI A MÁSCARA DE SUPOSTOS LÍDERES GARIMPEIROS NA AMAZÔNIA BRASILEIRA; O POLÊMICO ZÉ ALTINO - News Rondônia A vinda de Zé Altino – nome de guerra – ‘é vista como a grande sensação do momento’, já que ele ajudará a esclarecer alguns fatos ligados à diretorias que vem se eternizando no poder, de forma individualista e unitária’, afirmam garimpeiros ouvidos por este site.

Porto Velho,

Terça-Feira , 10 de Junho de 2014 - 09:28 - Colaboradores


 


CAI A MÁSCARA DE SUPOSTOS LÍDERES GARIMPEIROS NA AMAZÔNIA BRASILEIRA; O POLÊMICO ZÉ ALTINO

A vinda de Zé Altino – nome de guerra – ‘é vista como a grande sensação do momento’, já que ele ajudará a esclarecer alguns fatos ligados à diretorias que vem se eternizando no poder, de forma individualista e unitária’, afirmam garimpeiros ouvidos por este site.

ImprimirImprimir página

Humaitá/AMAZÔNIA BRASILEIRA – A vinda ao estado de Rondônia do fundador da Federação Nacional dos Garimpeiros [FENAG], José Altino Machado, é aguardada no vizinho estado com grande expectativa por parte de alguns segmentos da cadeia produtiva mineral da Amazônia Legal.

A vinda de Zé Altino – nome de guerra – ‘é vista como a grande sensação do momento’, já que ele ajudará a esclarecer alguns fatos ligados à diretorias que vem se eternizando no poder, de forma individualista e unitária’, afirmam garimpeiros ouvidos por este site.

ABANDONADOS - O ex-líder da FENAG, por telefone, anunciou que, ‘desde que a entidade foi criada por nós, sempre assumimos o papel de defensor incontinenti dos verdadeiros trabalhadores e barranqueiros’.

Ele disse que ‘não é verdade que, hoje, a entidade represente entidades federadas’, porque simplesmente elas não estão agregadas nos estados onde os garimpos ainda funcionam’, legal ou ilegalmente.

- O que pode estar ocorrendo é há alguém nesta região se intitulando líder de si mesmo’, afirmou.

Segundo ele, ‘é tudo golpe e para enganar incautos garimpeiros cuja classe de hoje se quer conhece o processo eleitoral dirigido por um cidadão que se dizia fotógrafo e que, de repente, confessou-se apaixonado pelos garimpos mineiros e agora, rondonienses’.

FENAG PELÊGA, SÓ SERVE O AGRONEGÓCIO - De acordo com pesquisa feita por este site junto às Centrais Sindicais de Trabalhadores no Brasil, a suposta Federação Nacional de Garimpeiros [FENAG], criada por Zé Altino no Amazonas e atuação em Roraima, ainda nos anos 90, não tem registro sindical no Ministério do Trabalho e Emprego [MT-E].

O SINGRO, desde os anos 2008 era dirigido por uma mulher e o marido que teriam migrado de forma estranha do Amazonas para o estado rondoniense. Com os garimpos ‘bamburrando’ por lá, infiltraram-se na lida do ouro e teria feito da entidade um novo meio de vida.

ERA FOTÓGRAFO EM MG - O suposto presidente da FENAG – reeleito sucessivamente só por Rondônia -, nos anos 90 migrou de Minas Gerais para Ariquemes. Teria abraçado a atividade garimpeira homiziado pelo presidente da MINERALCOOP, do empresário conhecido por FUNIL e apoiado, em Porto Velho, pelo garimpeiro apelidado por ‘Todo Feio’.

Lembra uma segunda fonte, que ‘a FENAG, com apoio do SINGRO e de empresários, viria funcionando em um apartamento do Distrito Federal’, cujo endereço é pouco divulgado entre as supostas cooperadas e sindicatos, mas com o tal representante morando em Rondônia, no bairro Aponiã, na Capital Porto Velho.

- Todos esses fatores foram considerados de relevância por Zé Altino, o fundador da FENAG na Amazônia Brasileira, reitera a mesma fonte.

FIM DAS SINECURAS? - Com a vinda dele a Rondônia, muita coisa considerada obscura dentro da cadeia sindical do movimento dos trabalhadores garimpeiros da região será esclarecida, dizem os velhos companheiros do ex-líder da entidade que já chegou, inclusive, a ocupar cargos em comissões que trataram da legalização dos garimpos no Congresso Nacional e na Comissão de Defesa da Amazônia.

Zé Altino, a pedido de lideranças que não concordam com os métodos adotados por uma suposta liderança da antiga FENAG cuja atuação é restrita a Rondônia, irá buscar respostas para a existência da entidade no Ministério Público Federal [MPF] e Ministério do Trabalho e Emprego [MT-E] a fim de as atas de criação, instalação e funcionamento seja dada publicidade, como determina a Constituição Federal a Associações, Sindicatos, Federações e Confederações Nacionais de Trabalhadores.

- E não deixar as cooperativas abandonadas, se virando sozinhas, sem Notas Fiscais e envoltas com acusações de lavagem de dinheiro’, arremataram as fontes.      

XICO NERY é Produtor Executivo de Rádio, Jornal, TV, Repórter Fotográfico e CONTATO de Agências de Notícias nas Amazônias, Países Andinos e Bolivarianos.

NOTICIAS RELACIONADAS

Fonte: XICO NERY -NewsRondônia

Comentários do Facebook

Veja Também

Publicidade

  • Http://www.Auto-doc.pt