Quarta-Feira, 08 de Novembro de 2017 - 20:26 (Geral)

L
LIVRE

BURGOMESTRE DE PORTO VELHO VAI EM BUSCA DOS NEGÓCIOS DOS CHINESES NA AMAZÔNIA OCIDENTAL BRASILEIRA

Sobre o assunto, o NEWSRONDÔNIA foi a entidades de classe para se informar a respeito da discussão de uma possível agenda positiva aos chineses pelo prefeito com o aval do setor da indústria, o comércio ou de serviços no âmbito municipal.


Imprimir página

Porto Velho, Rondônia – Com críticas à forma que governa e não divulga a agenda de viagens ao exterior, o prefeito Hildon Chaves (PSDB) viajou à China atrás de investimentos na tentativa de atraí-los com foco no comércio e na indústria rondoniense.

Sobre o assunto, o NEWSRONDÔNIA foi a entidades de classe para se informar a respeito da discussão de uma possível agenda positiva aos chineses pelo prefeito com o aval do setor da indústria, o comércio ou de serviços no âmbito municipal.

Segundo a pesquisa, na ausência de informações advindas da Federação das Indústrias de Rondônia (FIERO), Federação do Comércio (FECOMERCIO) e da Câmara dos Diretores Lojistas (CDL), além da secretaria do Desenvolvimento Social, Econômico e do Turismo (SEMDESTUR), ‘nada foi divulgado que ateste a escuta desses órgãos pela equipe econômica de Hildon Chaves’.

O prefeito, como na primeira viagem aos Estados Unidos e Europa, pouco ou quase nada a Prefeitura divulgou sobre os resultados obtidos sobre á cata de investidores. Porém, na China, de acordo com fontes da Casa Militar, ‘os negócios seriam o Turismo, o comércio, energia limpa, pescado, essências naturais e serviços’.

A China, segundo economistas ouvidos pelo NEWSRONDÔNIA, tem um mercado de 1,5 bilhão de habitantes. Contudo, ‘Porto Velho não terá condições de absorver quase nenhuma indústria de base chinesa que adota tecnologia avançadíssima para o padrão do nosso município’.

Para os consultores João Roberto Soares e José Ricardo Costa, respectivamente, ‘vale a intenção do prefeito ou do governador buscar qualquer tipo de investimento real, no país ou no exterior’.

Entre as fontes deste site de noticias e mídia no entorno do gabinete do prefeito, a notícia de que ele teria que ter reunido empresários, industriais e sua equipe econômica no afã de construir planos estratégicos para discutir com os chineses, ‘não encontrou eco’.

Do gabinete, com a polêmica criada com mais uma viagem dele ao exterior, este site conseguiu apenas extrair a informação de que ‘a agenda de Hildon com os chineses não se trata de uma agenda vazia’.

Outras indagações sobre os integrantes da caravana levada por Hildon Chaves à China não foram respondidas por membros ligados ao statf do prefeito. Com a crise que se instalou no município, ‘a ordem é correr atrás de soluções imediatas para o governo e a economia portovelhenses’.

Historicamente, o município dispõe de duas hidrelétricas (Jirau e Santo Antônio) reclamadas no passado por causa da ausência de um parque industrial e baixa qualidade da mão de obra.

- No passado, a alegação maior para a falta de investimentos ficava por conta da falta de geração de energia para mover um possível pólo industrial, hoje, mas não, afirmam os consultores ouvidos por este site.

Porto Velho, desde o governo militar delimitou extensa faixa de terra ao longo da BR-364 em direção a Candeias do Jamari, a 20 quilômetros da Capital, para assentimento e instalação do Distrito Industrial. No período, ondas intensas de invasões ocorreram, no local, ‘passado mais de duas décadas, há apenas a IMMA, especializada na fabricação de comportas para usinas hidrelétricas’.

À parte de políticos opositores, ma Câmara, o prefeito não pode ter ido cumprir uma agenda vazia, ausente de temas econômicos e sem vantagens para tentar atrair mercados de capitais dominados pelos chineses’. Segundo disseram, ‘a visita dele ao país, não deve tratar-se de apenas um capricho ou servir de medição de força com o governador Confúcio Moura’.

Fonte: NewsRondônia

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias