Quarta-Feira, 29 de Agosto de 2012 - 17:23 (Colaboradores)

BRASIL: PAÍS SEM ‘ORDEM’, MAS PROGREDINDO PARA O ATRASO

Como estudantes de escolas públicas com um ensino infelizmente péssimo podem ter o sonho de entrar numa universidade? Até podem, mas aqueles que realmente se esforçarem de verdade, o que não é algo comum, como deveria ocorrer no ensino padrão brasileiro.


Imprimir página

O dia 29 de agosto de 2012 vai ficar como o dia em que a primeira mulher presidente do Brasil, a ‘guerrilheira’, Dilma Rousseff colocou a história do país em mais um atraso condicional.

O primeiro deles, leva em conta a alteração do Código Florestal, que muda regras de preservação de florestas em propriedades privadas.  A ação foi liderada pelo líder do DEM na Câmara, Ronaldo Caiado (GO), os deputados conseguiram reduzir de 20 para 15 metros de regularização de APP, em margens de rios de até 10 metros, em propriedades de quatro a 15 módulos fiscais. O novo texto que valoriza o interesse de políticos e grandes latifundiários deixou ambientalistas furiosos e com razão. Nada foi mudado pensando no bem estar do planeta em si.

Outra besteira do dia foi à aprovação de cotas em Universidades Públicas pela presidente, Rousseff, que mais uma vez evidencia o Brasil, como país que não planeja sua própria educação.  

Cotas no Brasil é algo desleal, valoriza simplesmente alunos de escolas particulares que tiveram uma boa educação.

Como estudantes de escolas públicas com um ensino infelizmente péssimo podem ter o sonho de entrar numa universidade? Até podem, mas aqueles que realmente se esforçarem de verdade, o que não é algo comum, como deveria ocorrer no ensino padrão brasileiro.

Cotas são mais uma ação pertinente do governo pra se livrar de investimentos nas instituições públicas, no ensino integral aquele que Rondônia está apostando.

O Brasil precisa se livrar da miserabilidade, onde analfabetos e famosos vencem eleições embalados pela carência de afeto do povo.

Enquanto as pessoas estiverem dispostas a se venderem, isso vai continuar como sarna, fica na pele. Como diz o ex-ministro de Assuntos Estratégicos do Brasil, Roberto Mangabeira Unger, “O Brasil é um país atrasado em três séculos”. Afinal de contas, o quando o brasileiro vai acordar?

Fonte: EMERSON BARBOSA

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias