Sabado, 25 de Fevereiro de 2012 - 09:39 (Colaboradores)

BR-364: UM ATESTADO AO SUICÍDIO

Afirmar que, uma, duas ou três mortes serviriam de exemplo para que fosse recuperado a Br-364 era o que se imaginava,mas a representação do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transporte (DNIT) parece não se importar com as mortes vistas ultimamente na rodovia


Imprimir página

Trafegar pela BR-364 de porto velho a Vilhena é o mesmo que flertar com a morte quilômetro a quilômetro. E não sou eu quem diz, e sim, os inúmeros acidentes fatais que vem ocorrendo nos últimos meses na rodovia.

Os números reais talvez nem se saiba, mas quem está em casa com toda certeza tem essa estatística. São as vítimas vivas das vitimas que perderam a vida pela irresponsabilidade e falta de respeito do DNIT com o rondoniense e com quem precisa usar a BR. O condutor pode até ter a sua parcela de culpa, mas no caso da BR-364 a maior é do órgão federal.

Afirmar que, uma, duas ou três mortes serviriam de exemplo para que fosse recuperado a Br-364 era o que se imaginava,mas a representação do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transporte (DNIT) parece não se importar com as mortes vistas ultimamente na rodovia.

PERCORRER A BR-364 NO ESTADO EM QUE ESTÁ É ASSINAR UM ATESTADO DE SUICÍDIO. O pior trecho de todos, é o que liga Ji-Paraná a cidade de Cacoal, a 485 km da capital Porto Velho. Em alguns locais, o asfalto simplesmente desapareceu e deu lugar aos buracos que tomam conta da pista. Nesse momento a atenção do motorista deve ser precisa, do contrário pode se envolver facilmente num acidente, sorte se sair sem nenhum arranhão.

Na noite de sexta-feira (24) por volta das 07h00, o prefeito de Alta Alegre dos Parecis, Dirceu Alexandre da Silva (PSB) e o motorista dele morreram após a caminhonete em que estavam perder o controle e cair numa ribanceira. O acidente ocorreu próximo a Itapoã D’Oeste. Ele como autoridade foi à terceira morte na Rodovia. No ano passado, o deputado Federal, Eduardo Valverde também morreu vítima de um trágico acidente, após o veículo dele se chocar com uma carreta. Na semana passada foi à vez de um ex-vereador de Cacoal.

O que se percebe é que nem mesmo as mortes dessas autoridades vêm servindo de basta para que o Departamento chame pra si a responsabilidade.  Ou o DNIT toma uma providência, ou vai ter que arcar de agora em diante com cada vida que for tirada por causa da incompetência de quem rege a representação.

Fonte: Emerson Barbosa

Banner Ale

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias