Quarta-Feira, 09 de Maio de 2018 - 11:26 (Economia)

L
LIVRE

BANCO OFERECE R$ 1 MILHÃO PARA APOIAR PESQUISAS CIENTÍFICAS NA AMAZÔNIA

As propostas apresentadas devem estar voltadas à inovação, à busca pela superação da escassez de informações científicas e, também, atender aos interesses de negócios do Banco e do desenvolvimento regional.


Imprimir página

O Banco da Amazônia torna público a partir de segunda-feira, dia 30, o seu novo Edital Público de Pesquisa 2018 e disponibiliza R$ 1 milhão para estimular a expansão da pesquisa cientifica e tecnológica na região Amazônica. Traz como novidade neste ano o incentivo à pesquisa de instituições públicas e privadas na área de big data e análise de dados, bioprodução e bioeconomia, nanotecnologia e produtos inteligentes, dentro da linha temática Indústria Avançada.

As propostas apresentadas devem estar voltadas à inovação, à busca pela superação da escassez de informações científicas e, também, atender aos interesses de negócios do Banco e do desenvolvimento regional. De acordo com o presidente do Banco da Amazônia, Valdecir Tose, com esta iniciativa pretende-se ampliar o conhecimento sobre a Amazônia e sobre o uso sustentável da biodiversidade da região. “Também queremos contribuir para o desenvolvimento de novas alternativas tecnológicas e econômicas, que agreguem valor aos produtos regionais, e estimular a implementação de agroindústrias e agrupamentos produtivos em setores-chave do mercado”.

 

Essa é a segunda vez que o Banco lança edital de pesquisa. O último foi publicado em 2015 e contemplou 18 projetos dos nove Estados que compõem a Amazônia Legal. Nesse ano, foram apresentadas 218 propostas, sendo 5% do estado do Acre, Amazonas (11%), Amapá (5%), Maranhão (3%), Mato Grosso (14%), Pará (38%), Rondônia (11%), Roraima (3%) e Tocantins (10%). O grupo de pesquisa que mais se destacou foi o de Recursos Naturais e Meio Ambiente com 32% do pleito, seguido do de Agricultura com 26%.

De 1999 até o ano de 2017, o Banco da Amazônia financiou 389 projetos de pesquisa, com recursos na ordem de R$ 28,6 milhões, envolvendo parcerias com mais de 40 instituições da Amazônia Legal. O apoio do Banco para o desenvolvimento da ciência na região se intensificou a partir do final da década de 90 quando a Instituição passou a financiar projetos por meio dos recursos vindos de 1,5% das liberações feitas pelo então Fundo de Investimento da Amazônia (FINAM). Em 2004, o Banco começou a aportar recursos próprios na área, culminando com o lançamento, em 2015, do Edital de Seleção Pública de Pesquisa Científica e Tecnológica, que agora ganha sua segunda versão.

Um destes projetos é de autoria da pesquisadora Ana Karina Dias Salman, da Embrapa-RO. Ela foi responsável por um dos 18 projetos contemplados no Edital de Pesquisa 2015 do Banco da Amazônia. A pesquisadora foi selecionada com o projeto “Software Arbopasto para Planejamento da Inclusão do Componente Arbóreo em Sistema de Integração Lavoura-Pecuária-Floresta”, ainda em andamento.

O objetivo é desenvolver o software Arbopasto para simulação da inclusão de espécies arbóreas em áreas de iLPF e promover ações de transferência de tecnologia, capacitação e comunicação para incentivar a inclusão do componente arbóreo utilizando espécies nativas da Amazônia Ocidental brasileira. No estado de Rondônia a pecuária é uma das atividades de maior expressão econômica. Apesar disso, no bioma Amazônia, a pecuária enfrenta o estigma dos impactos ambientais negativos, e que se agrava quando se considera o problema da degradação das pastagens. A inclusão do componente arbóreo, dentro do conceito de integração lavoura-pecuária-floresta (iLPF), é uma estratégia de produção sustentável que integra atividades agrícolas, pecuárias e florestais. Durante o desenvolvimento do Projeto Arbopasto, foi construído um banco de dados com informações sobre as características dendrométricas, como altura total da árvore, altura do fuste, diâmetro a altura do peito (DAP), altura e área de copa, de pelo menos 10 exemplares de cada uma das 51 espécies arbóreas avaliadas nos estados do Acre e Rondônia. A partir dessas informações será feira a simulação da inclusão de espécies arbóreas em áreas de iLPF e promover ações de transferência de tecnologia, capacitação e comunicação para incentivar a inclusão do componente arbóreo utilizando espécies nativas da Amazônia Ocidental brasileira.

O apoio do Banco da Amazônia à pesquisa é feito através de seleção de projetos na forma de Edital, que será publicado no Diário Oficial da União (DOU), divulgado e disponível no site institucional a partir de segunda-feira, dia 30. A iniciativa pretende dar maior transparência e visibilidade do processo à sociedade. O Edital pretende selecionar projetos para apoio financeiro, obedecendo ao seguinte cronograma: de 30 de abril a 31 de maio de 2018 ocorre o período de divulgação e inscrição das propostas, de 1º de junho a 5 de julho ocorrem as análises das propostas inscritas, e até 16 de julho haverá divulgação das propostas selecionadas. A recepção de proposta para o Edital 2018 será individual, compreendendo um único projeto de pesquisa apresentado por um pesquisador ou por um grupo de pesquisadores vinculados a instituições públicas ou privadas de ensino superior e/ou pesquisa.

Confira os detalhes no site institucional do Banco é www.bancoamazonia.com.br.

Fonte: 010 - assessoria

Noticias relacionadas

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias