Domingo, 11 de Junho de 2017 - 19:01 (Eventos)

L
LIVRE

ASSISTÊNCIA SOCIAL NA VISÃO ESPÍRITA É DEBATIDA NA ABERTURA DO ENCONTRO ESTADUAL DA APSE

Promoção social espírita é um dos trabalhos realizados pelos centros espíritas em todo o país.


Imprimir página

Por Geovani Berno

O professor doutor em sociologia e assistente social, Reinaldo Nobre Pontes da Universidade Federal do Pará (UFPA), realizou a palestra de abertura do IV Encontro Estadual da Área de Promoção Social Espírita (APSE) afirmando que caridade e promoção social espírita é diferente de esmola, que segundo ele, só degrada e humilha a quem dá e a quem recebe.

O palestrante, narrando a história de Jesus e de seus seguidores, ressaltou o trabalho ao próximo como a grande lição deixada pelo Mestre e complementou que “o espiritismo é uma doutrina de ação, não de contemplação”.

Reinaldo destacou que “com ou sem nossa ação o Estado sempre terá a obrigação em realizar o trabalho da ação social. Não é tarefa nossa substituir o poder público, mas complementá-lo”.

O palestrante foi enfático ao afirmar que a dor própria é o que leva o trabalhador espírita ao trabalho na área de promoção social, como forma de lenitivo, de anestesia e de aprendizado para a sua própria dor e neste momento percebe o valor de suas ações e permanece ajudando ao próximo na evangelização, na mediunidade e em outras atividades.

Pontes disse que os trabalhadores espíritas devem fazer seu trabalho parecer mais com uma família do que como uma instituição. “Nosso óbulo tem de ser um presente ao próximo, não algo humilhante. Nossa ajuda tem de se converter em autoajuda também”. Finalizou lembrando que somos trabalhadores novatos no aprendizado do Evangelho.

Fonte: assessoria

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias