Terça-Feira, 15 de Agosto de 2017 - 11:58 (Agronegocios)

L
LIVRE

AGRONEGÓCIO: PREFEITO ANUNCIA DISTRIBUIÇÃO DE CALCÁRIO E MUDAS DE CAFÉ

Técnico sugere criação de programa para aumentar produção de plantel de pequenos criadores


Imprimir página

Ao participar do sábado de um Dia de Campo sobre bovinocultura leiteira no sítio Dom Henrique, de propriedade do desembargador Walter Waltemberg, um dos maiores criadores de gado de alta linhagem, com um plantel de 600 vacas girolando, o prefeito dr Hildon Chaves anunciou os investimentos que a Prefeitura vem fazendo para o desenvolvimento do agronegócio no município.

De acordo com dr Hildon, a Secretaria Municipal da Agricultura e Abastecimento (Semagric) já transportou e entregou cerca de 200 toneladas de calcário que é vendido ao produtor ao preço de R$ 55 a tonelada, custo considerado irrisório, vez que está bem abaixo do mercado, além do frete que é totalmente incentivado pela Prefeitura, a custo zero para o produtor.

Além disso, o prefeito anunciou que está em fase de conclusão a compra de um milhão de mudas de café clonal, variedade precoce e de alta produtividade, que será distribuída entre pequenos produtores da região da Ponta do Abunã, além União Bandeirantes e Rio Pardo.

Durante o Dia de Campo, o prefeito dr Hildon entregou ao criador Walter Waltemberg o documento de renovação do Serviço de Inspeção Municipal ao Laticínio Fresquinho, que comercializa o leite tipo B em Porto Velho. Após a cerimônia de abertura, Waltemberg convidou o prefeito dr Hildon e o secretário municipal da Agricultura, Francisco Evaldo Lima para uma conversa sobre apoio aos pequenos criadores de gado leiteiro. Foi sugerida a contratação de zootecnistas especializados em toda a cadeia de produção leiteira, para orientar os pequenos produtores e aumentar a produção.

Foi apresentado ao prefeito dr Hildon o instrutor do programa Balde Cheio, engenheiro agrônomo João Rosseto Junior, que presta assessoria em Rondônia, Pernambuco, Piauí e até na Colômbia e é chamado de “lactopsicoterapeuta”, ou seja, não só dá assistência técnica a produtores interessados em melhorar seus índices como a animar aqueles que estão quase desistindo. Segundo ele, a prefeitura precisa deslanchar um programa para que o criador aprimore a produção, principalmente por meio da melhoria da alimentação do gado.

Rosseto afirma que pode melhorar a qualidade do leite e conseguir um preço maior por litro, mas ter um leite de qualidade é obrigação e também consequência de tudo o que se faz da porteira para dentro. “Então, preciso de um sistema de produção que dê resultado mesmo com o preço do leite em baixa. Ter um sistema funcionando bem, aliás, é essencial para que o produtor sobreviva em épocas de preços baixos”.

O Dia de Campo, segundo Francisco Evaldo, foi realizado numa parceria entre Semagric, Emater e empresas que atuam no ramo, além dos bancos Basa e Banco do Brasil que disponibilizaram R$ 8 milhões aos produtores presentes ao evento para aquisição de matrizes da raça girolando, máquinas e implementos.

Fonte: 010 - comdecom

Noticias relacionadas

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias