Segunda-Feira, 07 de Maio de 2018 - 17:18 (Agricultura)

L
LIVRE

AGRICULTOR FAMILIAR DE ARIQUEMES TRABALHA PARA AUMENTAR A QUALIDADE NA LAVOURA DE CAFÉ

Antes de conseguir a terra onde habita atualmente, na RO-257, Travessão B-65, Lindomar morou dez anos acampado no Assentamento Madre Cristina, em Ariquemes.


Imprimir página

Eram mais de quatro horas da tarde de sexta-feira, 3, quando o agricultor Lindomar Correia Silva ainda labutava na colheita de café, acompanhado da esposa, Marli Pereira dos Santos e dos filhos Luciano e Lívia Aparecida.

Antes de conseguir a terra onde habita atualmente, na RO-257, Travessão B-65, Lindomar morou dez anos acampado no Assentamento Madre Cristina, em Ariquemes. Há pouco mais de oito anos, ele foi contemplado com um lote de dez hectares. Na época, foram assentadas 35 famílias na região. A lavoura principal é a de café e ele explica que ela está em transição para o café clonal e irrigado. Com cerca de seis mil pés, há uma expectativa de colheita de 115 sacas neste ano.

Para atingir o estágio em que está a terra e a lavoura, Lindomar conta que também trabalhou fazendo diárias em outras terras. O projeto de irrigação foi financiado pelo Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf-A) e ele fez quando ainda era meeiro nas terras dos vizinhos. “A lida não é fácil, mas aos poucos a gente vai trabalhando para alcançar melhoria na vida”, conta o produtor.

Em parceria com o Movimento dos Pequenos Agricultores (MPA), Lindomar encaminhou o projeto para a construção de sua nova casa por meio do Programa Minha Casa, Minha Vida Rural, mas conta que para complementar o acabamento da residência foi necessário vender o veículo que possuía.

A família de Lindomar também é beneficiária do Programa de Aquisição de Alimentos (PAA), gerido pela Secretaria de Estado da Agricultura (Seagri), que adquire alimentos variados para incentivar a diversificação das lavouras no Estado. O programa também contempla a doação dos produtos a entidades que trabalham com famílias em situação de risco alimentar.

Para o PAA o agricultor vende os demais produtos que planta, como milho, abóbora, melancia e banana. Enquanto encaminha a lavoura de café, essas culturas mais rápidas auxiliam na geração de renda para a família. As fruteiras de tangerinas também estão carregadas para encaixotar e levar à cidade para comercializar na merenda escolar.

Além do trabalho com a família para diversificar a produção da lavoura, Lindomar também participa da Cooperativa dos Agricultores do Vale do Jamari (Coaprav), que conta com cerca de 40 cooperados. A proposta do jovem agricultor agora é a de conseguir um secador para os grãos de café que, segundo ele, com esse equipamento, vai conseguir alcançar a qualidade necessária do grão para proporcionar melhor qualidade na bebida do café.

Fonte: 015 - Secom - Governo de Rondônia

Noticias relacionadas

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias