Segunda-Feira, 09 de Dezembro de 2013 - 11:43 (Colaboradores)

ACUADOS, CONFÚCIO E DILMA ESCAPAM, DESSA VEZ, DOS PROTESTOS DO ‘ARROMBA’ DE SINDICATOS EM JI-PARANÁ E EM PORTO VELHO

E as ponderações do Planalto, com a mudança, ‘não espelham os reais objetivos desse tipo de temeridade política’, sobretudo por parte de palacianos rondonienses.


Imprimir página

Porto Velho, Rondônia– Enfrentar os movimentos paredistas que seriam protagonizados mais pelo Sindicato dos Trabalhadores da Educação [SINTERO] seria mais um ato de coragem de Dilma e Confúcio Moura. Mas saíram ilesos, graças à morte do líder sul-africano Nelson Mandela que será sepultado apenas no dia 15.

- Os gritos dos sindicalistas seriam ouvidos em todos os quadrantes do País, eles acreditam.

TEMOR E PEIA NA RÁDIO- Já na opinião de palacianos que testemunharam em 2012 a ameaça de agressão ao governador nos estúdios de uma rádio desta Capital, ‘a bancada federal e o governador seriam a bola da vez no ‘Vem Pra Rua Vem dos Sindicatos’ sobre a estagnação das negociações do processo da efetivação da transposição’.

Alguns analistas locais admitem, contudo, ‘empresários nos disseram que investir em Rondônia, também, é um ato de muita coragem’. E justificam: o Governo da Cooperação não pagaria construtores, além de assoberbar o DER e o DEOSP com programas de obras repentinas’.

DENÚNCIA AOS CALOTES- Em Ji-Paraná, por exemplo, havia uma agenda preparada por construtores que já sentem enganados cujos supostos calotes seriam denunciados à Presidenta Dilma’. O governador foi salvo pelo congo, afirmou um anônimo construtor com obras já entregues e que só receberá pelo contrato a partir de março do ano que vem.

Esse quadro não é diferente em meio aos servidores da saúde, educação, segurança e aqueles que seriam efetivados pela transposição anunciada pelos políticos, entre os quais, os senadores Valdir Raupp e Ivo Cassol, seguidos por Marinha Raupp e Amir Lando, conhecidos aliados do Planalto.

MAIS PEIA NOS BARNABÉS- Enganação aos servidores está presente em todos os níveis de poder, salvo honrosas exceções nos seio das entidades classistas que fustigam as gestões dos ministérios da Fazenda, do Planejamento e da Advocacia Geral da União [AGU].

Para sindicalistas ouvidos por este site, ‘o que torna quase impossível montar uma nova estratégia em Rondônia e em Brasília na tentativa de se reverter essa situação, ‘pelas vias éticas e legais’, apontam em franco desespero. Para eles, ‘só restou à maquinaria dos protestos para alertar a Presidenta, simultaneamente, em Ji-Paraná e Porto Velho [Usinas de Jirau e Santo Antônio].

AGONIA & ÊXTASE– O governador Confúcio, segundo pesquisa entre opositores, em discurso, sob chuva fina ou sol escaldante, diria a Dilma que ‘teria o maior prazer em recebê-la. E afirmaria, no entanto, que, ‘a oposição rondoniense é a grande responsável pelas manifestações contra a Presidente’.

Diria, em linhas gerais, que ‘nosso governo avançou a um bom ritmo, apesar dos obstáculos protagonizados por conhecidos opositores’. Como tema central, ‘o nosso a apoio à sua reeleição’. Só não contaria com a reação de parte de prefeitos que apoiaram em 2010, cuja carta compromisso entregue no Hotel Aquarius, ignorou’.

A PASSOS DE CÁGADO- Dos sindicalistas, além do alerta sobre os percalços com a transposição, a Presidente seria informada sobre a má condução do processo regional revertido em ‘numa clara camisa de força pelo governador, sujeito às argumentações pífias, como no caso dos precatórios não pagos, bem como em benefícios retirados apesar dos acordos assinados com os servidores’.

Nesse sentido, afirmam sindicalistas que ainda mantém a agenda de protestos para a terça-feira [10], ‘pelos ministérios da Fazenda e do Planejamento não terem flexibilizado as discussões, nem cumprido com a palavra da Presidenta dita por aqui, os organismos e as entidades estaduais cobrarão propostas específicas para explorar as negociações, com mais eficiência política e jurídica’ - do que antes.

MENTIR É SAUDÁVEL?- Para a maioria dos dirigentes não vinculados à CUT [Central Única dos Trabalhadores], ‘se fizermos uma análise do caminho percorrido até aqui, podemos ver que ministros petistas, deputados, senadores e o governador mentiram aos servidores, aos sem terra, aos indígenas e a sociedade rondoniense’.

- Pois a magnitude e a complexidade dos problemas criados por essa gente não permitem que possamos resolvê-los sem o aval da Presidente dum dia para o outro’, sublinharam. Segundo eles, ‘devemos resistir às pressões daqueles que insistem em que não façamos os protestos para irmos mais rápido diante da Polícia do Estado Brasileiro’.

Segundo afirmam, ‘não dar para corrigir possíveis erros de agenda eleitoreira em nome da transposição e de direitos negados aos trabalhadores, e avançar duma hora para a outra apesar dos obstáculos impostos por essa gente’. E sentenciaram: “Dilma e Confúcio são parecidos com o outro, não conversam com sindicalistas’.

XICO NERY é Produtor Executivo de Rádio, Jornal, TV, Repórter Fotográfico e CONTATO de Agências de Notícias nas Amazônias, Países Andinos e Bolivarianos.

Fonte: XICO NERY

Noticias relacionadas

Banner Ale

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias