Quinta-Feira, 01 de Fevereiro de 2018 - 10:40 (Colaboradores)

L
LIVRE

A ONDA SEPARATISTA - POR CARLOS SPERANÇA

Há quase duas décadas, também tivemos em Rondônia propostas separatistas. Em Porto Velho, seria criado o município de Ulysses Guimarães, unindo também os bairros Marcos Freire e Ronaldo Aragão. A coisa não prosperou.


Imprimir página

O planeta atravessa por uma onda separatista em todos os seus quadrantes. No Sul do Brasil, existe o movimento para a independência dos três estados, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul, formando uma nova Nação. As primeiras consultas populares começaram para avaliar a repercussão da proposta.

Seja na Catalunha, na Espanha, no Sudão do Sul, o separatismo ganha força. O mesmo ocorre com o País de Gales, no Reino Unido, com Kosovo na região da antiga Iugoslávia. Até nos Estados Unidos existem movimentos para separar Estados pujantes como o Texas e a Califórnia.

Há quase duas décadas, também tivemos em Rondônia propostas separatistas. Em Porto Velho, seria criado o município de Ulysses Guimarães, unindo também os bairros Marcos Freire e Ronaldo Aragão. A coisa não prosperou. Ainda em Rondônia, o projeto da criação do estado do Aripuanã foi rejeitado no Congresso. O novo Estado surgiria das regiões do Café, Zona da Mata e Cone Sul. Rondônia ficaria com seu território reduzido de Presidente Médici a Porto Velho. Deu em nada.

Fato novo

Temos fatos novos no cenário regional. Estaria nascendo uma dobradinha cara nova para a disputa do governo de Rondônia e uma cadeira ao Senado. Seria uma chapa puro sangue da Rede, com o professor universitário Raduan Miguel ao governo e o psicólogo Aluízio Vidal ao Senado. Estudantes universitários em algumas cidades pólos do Estado estão encampando a ideia. Não se sabe ainda se o projeto vai prosperar, mas os comentários já estão rolando nas faculdades.

O ecoturismo

No vizinho estado do Amazonas, a Funai e a Fundação Estadual do Índio - FEI estão começando um interessante projeto de ecoturismo e manejo florestal. O desenvolvimento sustentável ganha corpo na região e fica esta dica para os demais estados do Norte, como Rondônia, Acre, Amapá e Roraima onde os povos indígenas poderão ser beneficiados com ações desta natureza se inspirando neste programa amazonense.

O financiamento

Especialistas internacionais afirmam que o financiamento do crime organizado vem do tráfico de drogas e do contrabando de cigarros nas fronteiras do Brasil com outros países, como o Paraguai, Bolívia, Peru e Colômbia. As divisas brasileiras estão abertas para as atividades dos criminosos e o governo Temer para piorar as coisas tem reduzido os recursos do orçamento para a Polícia Federal nos últimos anos.

Uma tendência

Tem gente querendo se enganar com as eleições de outubro. A grande verdade é que teremos um pleito de renovação dos quadros partidários e tomara que isto seja saudável nas casas de Leis como nas assembleias legislativas e Câmara dos Deputados onde a tendência de troca-troca é grande. Os deputados estaduais e federais vão ter que suar a camisa para se reeleger. Teremos paradas duras pela frente.

Arrecadação

A prefeitura de Porto Velho espera arrecadar em torno de R$ 25 milhões com o pagamento dos carnês de IPTU, exercício 2018. É muito pouco, diante de um orçamento com o cobertor curto para atender às necessidade de saúde, infraestrutura, educação, mobilidade urbana, etc. Por isto, o prefeito Hildon Chaves se dedica a captação de recursos através de emendas parlamentares nas esferas estaduais e federais. E tem sido bem-sucedido.

Via Direta

*** Entre as inúmeras cracolândias existentes em Porto Velho, existe uma de luxo, pertencente a uma classe social mais seleta de cheiradores de pó *** Falo do Espaço Alternativo, onde jovens de poder aquisitivo curtem crack e sexo nas moitas adjacentes daquele logradouro *** Impressiona mesmo o avanço das drogas e narcóticos em Rondônia. As autoridades estão perdendo a guerra contra as drogas.

Fonte: Carlos Sperança - News Rondônia

Noticias relacionadas

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias